Atividade de negócios com startups continua caindo no mundo

Apesar do financiamento a startups ter sido ligeiramente maior nos últimos quatro meses, há uma grande armadilha

Apesar do financiamento a startups ter sido ligeiramente maior nos últimos quatro meses, há uma grande armadilha.

Segundo um novo relatório da KPMG International e da CB Insights, a atividade global de negócios com startups apoiadas por venture capital continuou caindo no segundo trimestre após atingirem níveis recorde há um ano.

De fato, pela taxa atual, a atividade de negócios ficará pouco acima dos números de 2013.

“Muitas das [ofertas públicas iniciais] de destaque do setor de tecnologia de 2015 continuam sendo negociadas bastante abaixo do preço da oferta inicial, o que coloca pressão sobre as avaliações das empresas privadas”, disse Brian Hughes, da KPMG.

“Isto, combinado com os temores econômicos na China e na Europa, continuou freando o investimento do tipo venture capital”.

“Trata-se de um momento desafiador para venture capital”, concluiu.

A razão pela qual o financiamento subiu enquanto a atividade em termos de acordos caiu é que algumas startups maiores, como Snapchat, Didi Chuxing e Uber Technologies, tiveram rodadas enormes e responderam pela maior parte do financiamento.

De fato, na América do Norte, Uber e Snapchat responderam por mais de US$ 4,5 bilhões dos US$ 17,1 bilhões em investimento total.

“Não existe razão para esperar uma recuperação da atividade de negócios nos próximos trimestres e é provável que poucos negócios façam com que os níveis de financiamento continuem parecendo bons”, disse Anand Sanwal, CEO da CB Insights.

“Em grande medida, esses meganegócios acabam escondendo um pouco a fragilidade dos mercados porque fazem os níveis de financiamento parecerem saudáveis. E no momento não existe catalisador para ampliar a atividade em termos de negócios”.

E embora mais empresas possam ter virado bilionárias no segundo trimestre do que no primeiro, houve, novamente, mais empresas levantando dinheiro novo ou sendo adquiridas a uma avaliação inferior do que novas empresas bilionárias.

Segundo o relatório, sete startups chegaram ao clube do bilhão, ou clube dos unicórnios, nos últimos quatro meses, mas o Downround Tracker da CB Insights mostra que 17 delas não alcançaram as expectativas e tiveram quedas de valor no período.

A criação de unicórnios teve seu pico mais recente no terceiro trimestre do ano passado, com o nascimento de 25.

O lado positivo é que este ano enfrentou um padrão elevado criado pelos recordes de 2015 e que um recuo não seria uma surpresa completa.

“Embora os níveis de negócios pareçam ruins, especialmente na comparação com a efervescência que vimos no terceiro trimestre de 2015, olhando os números deste trimestre em comparação com um período de tempo maior vê-se que ainda estamos com níveis de financiamento e de negócios bastante saudáveis”, disse Sanwal.

“Em outras palavras, o céu não está desabando, mas a projeção, definitivamente, é incerta”.