Antes de compra, WhatsApp só tinha US$ 8 mi de investimento

A empresa foi adquirida pelo Facebook por 16 bilhões de dólares

São Paulo – Mais de 430 milhões de usuários fizeram do aplicativo de troca de mensagens WhatsApp um dos mais populares do mundo. Mesmo sem planos para começar a monetizar, o serviço foi comprado pelo Facebook por 19 bilhões de dólares. Até hoje, sua única fonte de receita é uma taxa anual de 1 dólar cobrada depois de um ano de uso.

Ao contrário de outras startups que já receberam muitos milhões de investimento, como é o caso do Snapchat, que já recebeu 123 milhões de dólares em aportes, o WhatsApp só anunciou o recebimento de 8 milhões de dólares. Segundo o TechCrunch, o fundo Sequoia Capital, possivelmente apoiado por outros investidores, teria feito o primeiro aporte da empresa.

Os empreendedores por trás do negócio, criado em 2009, são Jan Koum, que já foi responsável pela plataforma de operações do Yahoo, e Brian Acton, que chegou a vice-presidente de engenharia também no Yahoo.

Em um evento na Alemanha, no mês passado, Koum afirmou que o app deveria se manter focado em conversas, sem games ou funções como as do Snapchat. “Ganhamos dinheiro, mas o importante agora não é a monetização. Um dia a empresa focará nisso, mas hoje o objetivo é garantir que o WhatsApp tenha um serviço que funcione”, disse na ocasião.

O empresário também deu a entender que não tinha interesse em vender a empresa, lembrando que companhias como Twitter e o próprio Facebook não foram vendidas e cresceram.

Em mensagem no Facebook, Mark Zuckerberg afirmou que “o WhatsApp irá continuar a operar independentemente dentro do Facebook. O plano de ação do produto não será mudado e o time irá permanecer em Mountain View”. No ano passado, o Facebook havia feito sua maior aquisição até o momento, comprando o Instagram por 1 bilhão de dólares. No total, a empresa já adquiriu 45 startups.