A Endeavor entra na lavoura

Organização de fomento irá assessorar empresas brasileiras de tecnologia para o agronegócio com alto potencial de crescimento

São Paulo — A pujança do agronegócio brasileiro, um dos responsáveis pela retomada da economia em 2017, está atraindo para o setor organizações até então sem tradição nas lidas de quem vive da lavoura. É o caso da Endeavor, organização internacional de fomento ao empreendedorismo que no Brasil é financiada por grandes empresas, como os bancos Santander, BTG Pactual e Credit Suisse.

Nesta quinta, 31 de agosto, a Endeavor anunciou um programa de assessoria a empresas brasileiras de tecnologia para o agronegócio com alto potencial de crescimento. São as chamadas “scale-ups”, negócios que já superaram os trâmites para colocar um produto ou serviço à venda e estão colhendo as primeiras conquistas.

Pelo programa, cujas inscrições vão até 4 de outubro, empresários bem-sucedidos que hoje fazem parte da rede de contatos da Endeavor vão dedicar parte do seu tempo em sessões de aconselhamento aos empreendedores donos das empresas selecionadas.

No rol de assuntos a serem abordados estão as principais dores para o crescimento de um negócio, como o controle do caixa, a contratação de funcionários e as estratégias comerciais. Esse choque de gestão deve acontecer entre novembro de 2017 e abril de 2018.

A rede de empresários da Endeavor vai selecionar as empresas do agronegócio que mais se adequam aos critérios do programa. No radar da Endeavor estão empreendedores que oferecem produtos ou serviços das seguintes áreas: agricultura de precisão, gestão financeira das fazendas, análise de dados, biotecnologia, agricultura vertical, mecanização e internet das coisas para o campo, plataformas de negociação de safras e rastreamento a cadeia logística.

Mais informações em www.endeavor.org.br/scaleup/agrotech.