A doce reviravolta. Do direito societário à franquia de cheesecake

Fernanda Zekcer, ex-advogada societária, largou a carreira jurídica e se aventurou no doce mundo da confeitaria

Fernanda Zekcer, de 38 anos, nunca imaginou que transformaria um hobby em profissão bem no meio da crise econômica. Advogada especialista em direito societário, a paulistana vivia bem com seu trabalho, mas sentia falta de alguma coisa. “Tinha algo dentro de mim. Eu gostava de outras atividades, como cozinhar.”

Numa viagem com o marido à Califórnia, em 2010, ela ficou fascinada com as lojas de doces, entre elas as de cheesecake — receita que era sua especialidade.

De volta ao Brasil, decidiu usar o tempo depois do expediente para fazer tortas desse tipo e vendê-las. Continuou com a dupla jornada até o Natal daquele ano, quando ganhou mais dinheiro com as encomendas do que com o emprego.

Em 2011, viajou para Nova York, a terra do cheesecake, com o objetivo de se aperfeiçoar. Pousou em São Paulo tendo a certeza de que trabalharia apenas com isso. “Melhor tentar do que ser uma pessoa frustrada que fica falando ‘e se?’.”

Ficou mais dez meses no escritório, trabalhando meio período e conciliando as atividades com a gravidez e o nascimento de seu primeiro filho.

Quando a licença-maternidade acabou, Fernanda se demitiu e se dedicou ao que viria a se tornar a Cheese­cakeria. Em 2013, abriu sua primeira loja, com um investimento de 150 000 reais. Hoje, ela tem mais duas lojas na capital paulista e emprega 24 pessoas.

Faturando 3 milhões por ano, estuda a possibilidade de franquear o negócio no futuro. “Eu me sinto desafiada todos os dias: comando uma cozinha e não sou confeiteira.”