500 Startups anuncia Flávio Dias, ex-presidente da Via Varejo, como sócio

O novo sócio vai facilitar os investimentos em startups brasileiras e intensificar a aproximação do fundo norte-americano com grandes empresas do mundo

O fundo de venture capital norte-americano 500 Startups anuncia nesta quarta-feira 18 Flávio Dias, ex-presidente da Via Varejo, como novo sócio. O executivo, que já estava atuando como investidor anjo desde 2014, vai atuar na operação do fundo no Brasil e participará das iniciativas globais que envolvem grandes corporações.

O fundo, especializado em investimentos em empresas em estágio inicial, realizou mais de 2.400 aportes ao redor do mundo. No Brasil, já investiu em mais de 40 startups, como Conta Azul, Descomplica, Olist, Ingresse e Quero Educação.

Com o aquecimento e consolidação do setor no Brasil, a 500 Startups quer fortalecer sua atuação no país. As startups brasileiras, em conjunto, receberam mais de 2,7 bilhões de dólares em investimentos em 2019, segundo levantamento da empresa Distrito.

Para a brasileira Bedy Yang, fundadora e diretora do fundo, a chegada de Dias marca um momento estratégico para a 500 Startups. “O Flávio vai conseguir ajudar a gente a estruturar melhor as iniciativas que a gente tem aqui, queremos encontrar os melhores talentos, ajudar os empreendedores a escalar seus serviços”, diz.

Dias também irá atuar no braço ligado ao mercado corporativo. A 500 Startups tem atuado ao lado de mais de 10.000 empresas, como General Motors e Mitsubishi, para ajudá-las no processo de transformação digital e inovação. “Flávio é uma das pessoas do mercado que mais entende a importância da transformação digital e sabe como trazer isso para estratégia das empresas. É nosso primeiro sócio com essa capacitação, queremos levar isso para o Vale do Silício, nos EUA, para Europa e Ásia”, diz Yang.

Neste primeiro momento, o novo sócio ainda não está alocado em nenhum projeto específico. “Estamos olhando o nosso acervo para definir o que a gente pode fazer aqui e o que pode levar para o resto do mundo — começamos agora a discutir nossa estratégia de ação”, diz a sócia.

Dias diz que a ambição do fundo para o Brasil é grande. “Quando a gente olha no segmento de startup que a 500 é especializada, vemos uma carência de um apoio de capital qualificado. Temos uma oportunidade gigantesca para a gente chegar forte nesse estágio”, diz o novo sócio.

“Minha entrada aqui concretiza o peso que a 500 Startups dá ao Brasil — nossa vontade é fazer algo bem forte por aqui”, diz Dias.

Como anjo, o ex-executivo investiu em mais de 12 startups, entre elas a Olist, também no portfólio da 500 Startups. Antes disso, passou por empresas como Magazine Luiza, Walmart.com, Banco Original, Cnova (Grupo Pão de Açúcar) e Via Varejo.

Em relação à crise do coronavírus, os sócios estão otimistas e acreditam que, apesar da insegurança no ambiente global, vai ser um momento em que as startups e empresas de tecnologia podem crescer. “Quando tem essa escassez, vemos as melhores startups serem criadas”, afirma Yang.

Apesar da menor liquidez no mercado, a sócia acredita que isso não é motivo para grandes preocupações ainda no setor de investimentos. “Venture capital é algo de 10, 15 anos, então não deveria ter um impacto forte na nossa atuação de forma geral”, diz.