5 mitos sobre ter uma franquia que você deve esquecer

Especialistas afirmam que todo franqueado precisa ter capacidade de gestão e se identificar com a operação da marca

São Paulo – Cada vez mais empreendedores escolhem investir em franquias para ser donos dos próprios negócios. Apesar da instabilidade da economia brasileira, a Associação Brasileira de Franchising espera um crescimento do faturamento do setor de franquias entre 7,5% e 9% para o ano que vem. Em 2014, o setor faturou 127 bilhões de reais.

Mas, existem muitos mitos disseminados sobre este tipo de negócio. Entre os mais comuns está o de que a escolha da franquia deve ter como base o gosto do franqueado. “Você tem que gostar do negócio e não só do produto. Tem que gostar do dia a dia da operação”, resume Angelina Stockler, sócia-fundadora da ba}STOCKLER.

Para Altino Cristofoletti Junior, vice-presidente da ABF, outro mito que as pessoas acreditam é que o sucesso de uma franquia só depende do franqueador. “Para dar certo precisa ter alinhamento entre as duas partes e o franqueado é o responsável pelo operacional”, explica.

Filomena Garcia, sócia da Franchise Store, afirma que muitos candidatos se iludem com a ideia de que ser franqueado de uma marca significa ter menos trabalho. “Pelo contrário, no começo ele vai trabalhar muito mais”, explica. Veja outros mitos que devem ser esquecidos:

1. Ter uma franquia é garantia de sucesso
Apesar do baixo índice de mortalidade, investir em uma franquia também envolve riscos. Uma rede franqueadora depende dos franqueados para crescer e lucrar. Para Junior, o empreendedor precisa ter clareza de que o sucesso também depende dele. “A rede vai fazer o papel de atrair o cliente, mas sem um bom atendimento não vende”, completa Filomena.

2. Basta gostar do produto ou serviço
Ter afinidade com o produto ou serviço da marca é desejável, mas não é suficiente para que a operação da franquia seja rentável. O dia a dia de uma operação de um restaurante em um shopping, por exemplo, demanda que o franqueado trabalhe durante os finais de semana.

Por isso, a escolha da rede é muito importante. Qual é a estrutura de apoio ao franqueado? Como são realizados os treinamentos? Essas são algumas perguntas obrigatórias antes de escolher uma franquia.

3. O franqueado trabalha menos
Como dono da franquia, o franqueado precisa estar no comando do negócio. Lidar com a gestão dos colaboradores, gerenciar o estoque e cuidar das finanças são algumas das tarefas do empresário. Para Angelina, o primeiro ano de um novo franqueado é de muito trabalho e é um período de aprendizado tanto para ele quanto para os seus funcionários.

4. O retorno do investimento chegará rápido
Ser dono de uma franquia exige que o interessado tenha um planejamento financeiro e capital reserva para eventuais imprevistos. “Por mais estruturada que seja a franquia, para começar a ganhar dinheiro demora um tempo e depende da consolidação do negócio. No início, o franqueado talvez não consiga tirar nada e tenha que investir”, explica Junior.

“Você pode até ter lucro no primeiro mês, mas existe um tempo para a maturação do negócio”, conta Filomena.

5. Franqueados não tem liberdade na rede
Uma das principais características de uma franquia é ter todos os processos padronizados. Entretanto, não quer dizer que o franqueado tenha só que obedecer e nunca questionar o que lhe é passado. O envolvimento e a proatividade do franqueado são essenciais para o crescimento de uma marca.