5 fatores que ameaçam o sucesso de uma franquia

Escolher um ponto ruim e não saber delegar tarefas podem levar sua franquia à falência

São Paulo – Faz parte do comportamento empreendedor estar disposto a correr riscos assim como buscar a melhor forma para minimizá-los. Hoje, quem pensa em abrir um negócio com risco reduzido logo procura uma franquia. Apesar das baixas taxas de falência, as franquias também podem dar errado e existem ameaças até chegar ao sucesso. 

Para evitar surpresas desagradáveis, é preciso que estar atento aos riscos que toda pequena empresa pode sofrer. “Alguns deles são controláveis, mas outros, como a economia, não. Por isso, é preciso sempre estar por dentro de tudo o que rola no seu negócio para não ser surpreendido e acabar quebrando”, alerta André Friedheim, diretor da Francap. Com a ajuda de especialistas, EXAME.com elencou as principais ameaças ao sucesso da sua franquia. 

1. Perfil

Para que você mantenha o caminho correto, é preciso, antes de tudo, fazer uma autoanálise para saber se a franquia a que você se dedica está realmente dentro daquilo que você sabe fazer. “Fique atento a suas preferências, habilidades e saiba quais são as razões que o levaram a querer investir em um negócio próprio”, diz Claudia Bittencourt, diretora-geral do Grupo Bittencourt.

Por exemplo, se o empreendedor tem perfil técnico, com características predominantemente conservadoras, vai ter dificuldade de operar em algo que exija habilidade comercial, criatividade e facilidade para relacionamento. Assim, é melhor investir em algo que esteja mais relacionado ao seu estilo. “Essa preocupação com o perfil adequado tem o objetivo de fazer com que o franqueado seja bem engajado no negócio e obtenha resultados positivos, o que é saudável para o próprio franqueado e para o desenvolvimento da rede de franquias”, salienta Claudia.

Aqui é preciso estar atento, também, a todos que estarão à frente da marca. “Muitas vezes o franqueador avalia o investidor, o ‘dono’ do dinheiro, e não quem vai operar”, ressalta Denis Santini, sócio-fundador da MD Comunicação.


2. Capital

Errar e não prestar atenção no fluxo de caixa do seu negócio é um erro grave. “Nunca dê um passo maior do que a perna. É preciso ter capital de giro e, para isso, você deve ter consciência do valor que investiu na franquia”, dez Friedheim. O valor que um empreendedor deve ter para não passar sufocos, o que ameaça, e muito, o sucesso de qualquer marca deve ser o dobro do capital investido. 

3. Concorrência

Não fique desesperado por conta da concorrência, que sempre existe, mas não deixe de prestar atenção no que acontece no mercado. “Um estudo da concorrência vai trazer, por exemplo, dados importantes sobre a escolha do local onde abrirá sua franquia. Identifique quem são, quantos são, onde estão e como se comportam para analisar suas estratégias de localização. Onde tem geograficamente ocorrido a expansão ou mesmo o fechamento das lojas dos seus principais concorrentes”, indica Claudia.

4. Localização

O processo de abertura de uma franquia envolve uma série de providências que levam ao sucesso do negócio. Pertencer a uma boa rede não é o suficiente, é preciso também estar no lugar certo. “Em muitos negócios, principalmente nas franquias de varejo, a escolha errada do ponto pode levar a marca ao fracasso. Por isso, a atenção do franqueador e do franqueado deve ser redobrada na decisão final do ponto comercial”, diz Santini. 


Faça uma análise criteriosa de vários fatores, minimizando os riscos do retorno do investimento. “Eles não envolvem somente fatores de estrutura, custo e segurança, mas também dizem respeito a visão que o cliente terá do seu negócio”, ressalta Claudia.

Para tanto, preste atenção no seu público-alvo e perceba se ele frequenta a área escolhida. Tome cuidado também com a visibilidade da sua franquia, percebendo se ela está em uma esquina, próxima de semáforos e se tem uma fachada característica.

5. Gestão

A última ameaça de um negócio, que traz dor de cabeça a muitos empreendedores, é não saber dividir as tarefas dentro da empresa. É claro que você deve estar por dentro de todos os assuntos do seu negócio, mas isso não significa que você deve levar tudo sozinho.

“Depois de um tempo o franqueado já começa a pensar na sua segunda franquia e isso faz com que ele precise deixar o seu negócio nas mãos de alguém em quem confie. Por isso, é importante saber delegar”, diz Friedheim.

Mas, cuidado, pois ter bons empregados não significa bons empresários. Saiba exatamente em quem você pode apostar para essa tarefa. “Muitas vezes um ótimo profissional não sabe lidar com as incertezas que o empreendedor passa na franquia e acaba não obtendo o sucesso esperado”, ressalta Santini.