5 erros que afastam um empreendedor de sua equipe

Especialistas apontam quais são as atitudes que empreendedores devem evitar na gestão de pessoas

São Paulo – Hoje, uma liderança mais participativa aumenta as chances de levar uma pequena empresa ao sucesso. “Mas, ainda existem líderes que acreditam que a liderança tem que ser por conflito. Sendo que os efeitos de um mau líder podem acabar com uma empresa e destruir uma equipe”, explica Sônia Garcia, headhunter da De Bernt Entschev.

Para Eduardo Carmello, diretor da Entheusiasmos Consultoria, há três áreas em que um empreendedor pode se aperfeiçoar quando o assunto é gestão de pessoas: orientação estratégica, engajamento e capacitação do talento. “Nas PMEs, eles têm uma dificuldade de ter uma gestão de pessoas, pois o jeito da empresa está ligado ao jeito do dono”, diz.

Com a ajuda de Sônia, Carmello e Alexandre Rangel, sócio-fundador da Alliance Coaching, Exame.com listou os principais erros que donos de pequenas empresas cometem.

1. Não ser claro nas ordens 

Um bom líder precisa repassar os objetivos estratégicos de forma clara para os seus funcionários. Um dos principais erros que os chefes cometem e acabam o distanciando da sua equipe é não esclarecer o que precisa ser feito e o que é realmente prioridade.

Para Carmello, outra cena comum é o empreendedor dizer uma coisa e fazer outra. “Além de não ter clareza, dita uma série de regras, mas na hora de fazer, ele acaba não fazendo”, diz.

2. Somente cobrar

Para ser um bom gestor de pessoas, o empreendedor tem que comandar bem e ter controle sobre o que está sendo feito ou não. Entretanto, é comum que pequenos empresários se deixem levar pela ansiedade. 


“Na hora que a equipe mais precisa de uma instrução ou de um esclarecimento, o gestor está longe. Mesmo sabendo da dificuldade, ele só está lá para cobrar”, explica Carmello. Para Rangel, a equipe se sente mais próxima do chefe quando há uma orientação de perto. 

3. Não incentivar a capacitação

Hoje, o que motiva um funcionário a crescer dentro de uma empresa, independente do porte, é a oportunidade de se aprender algo novo. “Com falta de apoio do gestor, ele começa a se desconectar e pensa ‘dou meu sangue e não estou apreendendo nada’”, explica Carmello.

Nesse sentido, o gestor acaba eliminando a capacidade do funcionário. O recomendável é fazer um levantamento rápido entre os funcionários para saber como a empresa poderia ajudar em treinamentos ou cursos especializados. 

4. Ignorar o feedback

Como a relação entre o dono e os funcionários é um pouco mais próxima nas pequenas empresas, algumas práticas são deixadas de lado. “É inacreditável como os gestores não dão feedbacks, há uma dificuldade enorme”, afirma Sônia.

Para Rangel, além de criar um vínculo de confiança, o feedback é importante porque as pessoas querem saber se estão indo bem ou não. Vale lembrar que é possível fazer críticas, mas sem ofender o outro lado

5. Ser muito centralizador

Ser o único a tomar decisões ou tentar resolver todos os problemas sozinho é típico de um empreendedor. Mas, o ideal é que os líderes deleguem mais e busquem diferentes soluções com a sua equipe. Dessa maneira o funcionário se sente mais motivado e desafiado dentro do negócio.

Rangel afirma que o discurso “não fez nada mais do que a obrigação” está ultrapassado, e para incentivar a inovação dentro de sua empresa é preciso compartilhar determinadas informações.