5 dicas para lidar com os fornecedores da sua empresa

De acordo com os especialistas, a falta de comunicação com os fornecedores é um dos principais erros cometidos por empresários

São Paulo – Seja na indústria ou no comércio, o bom relacionamento com os clientes e fornecedores é essencial para o sucesso do negócio. No caso das pequenas empresas, é natural que o empreendedor compre de empresas com base no menor preço do mercado. Reinaldo Messias, consultor do SEBRAE-SP, alerta que o custo baixo nem sempre é sinônimo de um produto ou serviço de qualidade.

Para o especialista em franquias e varejo e fundador da Praxis Education, Adir Ribeiro, um dos principais deslizes que um empresário comete com o seus fornecedores é não ter um alinhamento institucional entre as empresas. “Outro erro é essa relação comercial ficar focada somente nos aspectos comerciais de preços e prazos”, completa. Com a ajuda de Messias, Ribeiro e Carlos Cruz, diretor do IBVendas, EXAME.com listou as principais recomendações para empresários.

1. Tenha os processos da empresa alinhados

Com as planilhas do seu negócio em ordem fica muito mais fácil para o empresário se organizar e listar as demandas. Para que os seus clientes não sofram com a ruptura de estoques, estabeleça uma boa relação com o vendedor. “Os grandes desafios do empresário hoje são vender e comprar bem”, afirma Cruz.

O importante é estabelecer uma relação duradoura com os fornecedores, para garantir produtos o ano todo. “Uma vez definidas as bases da negociação, os próximos reabastecimentos entram em linha contínua de produção, garantindo as condições negociadas e muitas vezes, relevantes para ambos os lados”, explica Ribeiro.

2. Atente-se à logística do fornecedor

As condições de entrega, prazos, armazenamento e possíveis atrasos devido a problemas logísticos (temperatura, chuvas, estradas com problemas de locomoção, entre outros) são alguns exemplos de aspectos que ser levados em consideração.


A par dessas informações, o empresário pode se planejar e evitar surpresas na hora de organizar o estoque. Estoque parado também é perda de dinheiro, por isso vale lembrar que não sobrar produto é tão importante quanto não faltar.

3. Evite as armadilhas dos preços baixos

É comum que donos de lojas de pequeno porte busquem mercadorias com diferentes fornecedores e acabem não fidelizando o relacionamento com eles. Messias afirma que, nesses casos, as condições de pagamentos podem não ser as ideais e o empresário leva lotes dos produtos bem maiores do que precisa.

Ao trabalhar com um fornecedor há mais tempo, a vantagem é que “eles acabam tendo esse cuidado de dimensionar as vendas a você dentro da sua expectativa de demanda”, explica.

4. Avalie bem antes de fechar com um fornecedor exclusivo

A política de preços dos grandes fornecedores é fechada, mas há situações em que o empresário pode optar por um abastecimento exclusivo de produtos ou serviços da marca. De acordo com Messias, no caso do comércio, essa prática pode ser uma desvantagem para o empresário. Ao lidar com mais de um fornecedor, é possível negociar melhor os preços e ter uma variedade maior para oferecer aos clientes.

5. Pesquise bem antes de contratar um fornecedor do exterior

Buscar referências e avaliar os depoimentos de outros clientes é um dos primeiros passos antes de contratar um fornecedor de outro país. “Na parte internacional, amplia-se muito a complexidade de importação no que se refere aos aspectos legais e burocráticos necessários para a entrada de produtos ou serviços no país, desde a parte financeira até condições de importação, regulações e normas burocráticas de portos, aeroportos, entre outros”, explica Ribeiro. Por isso, apesar de muitas vezes ser mais barato, importar exige uma preparação maior do seu negócio.