4 formas de conseguir dinheiro para começar o seu negócio

Tem uma ideia e negócio e quer dinheiro para colocá-la em prática? Veja algumas alternativas que estão à disposição do empreendedor.

Como conseguir dinheiro para começar um negócio?

Escrito por Arnaldo Vhieira, especialista em estratégia de negócios

Para empreender, tudo começa com uma ideia. Talvez ela nem seja tão inovadora, pois outros empreendedores já a tiverem e iniciaram seus negócios. Essa talvez seja a primeira resposta para a pergunta título desse texto: quando você pensar em criar um novo empreendimento, analise se sua ideia é novidade, ou se o negócio vai ser diferente dos tantos outros que já existem.

Sabe-se que, por falta de experiência, muitos pequenos empreendedores acreditam que ao se tornar autônomos, passam a ser patrões de si mesmos, esquecendo que essa posição requer sacrifícios e autogestão.

Lembro-me de um ex-aluno que queria montar uma pizzaria delivery em seu bairro, pois muitos outros vizinhos já tinham esse tipo de negócio e o retorno financeiro era garantido, segundo sua percepção. Perguntei, então, quais seus diferenciais, visto que o negócio seria mais um dentre vários na região, pela minha visão, mercado competitivo. Ele não soube responder. Portanto, caro leitor, para conseguir dinheiro e começar um negócio, o primeiro passo é elaborar um detalhado e bom plano de negócio.

Essa estratégia traz todos os estudos de viabilidade do negócio, para entender e definir melhor o mercado em que você deseja atuar e suas possíveis oportunidades. Serve também para projetar recursos a serem utilizados, fazer projeções financeiras de receita de custos, para investimentos, a fim de calcular o tempo de retorno de capital investido e a diminuição de todo e qualquer risco do negócio.

Com o plano de negócio em mãos, é hora de procurar dinheiro para começar as atividades.

1 – Capital próprio

Uma parte considerável dos pequenos empreendedores inicia seu negócio com capital próprio.

Essa talvez seja a melhor forma de investir, inicialmente, em um pequeno negócio, evitando o endividamento em bancos ou outro meio de empréstimo. Além disso, o domínio desse tipo de capital permite a noção de quanto se pode gastar de fato, ou seja, impõem limites a investimentos exagerados e fora de hora.

A utilização do capital próprio requer planejamento e disciplina, muito antes de começar a investir.

Sabe-se, porém, que o dinheiro nem sempre é suficiente, sendo necessária a ajuda de terceiros para que o sonho de empreender saia do papel.

Vejamos, aqui, outras formas de conseguir dinheiro.

2 – Agências públicas

Uma opção que geralmente tem suas vantagens, principalmente em se tratando de juros sobre os empréstimos, é recorrer aos programas de fomento das agências públicas, como o BNDES (na esfera federal) ou outras tantas nas esferas municipal e estadual. 

Agência de fomento é uma instituição cujo objetivo é financiar capital fixo e de giro para empreendimentos (pequenos, médios ou grandes), previstos em seus programas. Não esqueça, portanto, que dependendo da agência, será solicitado a você, o Plano de Negócios.

3 – Empréstimos bancários

Outra forma de financiamento são os empréstimos bancários. Estes devem ser analisados criteriosamente no que se refere a taxas de juros. Fuja de empréstimos como cheque especial ou cartão de crédito.

Mantenha um bom relacionamento com o banco e solicite auxílio ao gerente para indicar a melhor forma de empréstimo para começar um negócio. As instituições financeiras têm produtos próprios para financiamento de empreendedores, muitos até aceitam bens como garantia nas operações, o que pode reduzir as taxas de juros.

4 – Investidores

Temos, ainda, os investidores externos ou o investidor anjo, modalidade que chegou ao Brasil nos últimos anos, como modelo de financiamento de novos negócios. O investidor anjo é normalmente uma pessoa física que, com capital próprio, investe em empresas e/ou ideias com alto potencial de crescimento.

Esse tipo de investimento é importante, pois quem investe geralmente tem muita experiência de mercado e pode auxiliar o pequeno empreendedor a trilhar um caminho de resultados.

Importante ressaltar que esse tipo de investidor não tem características filantrópicas. Seus objetivos são claros no que diz respeito a retorno de capital. Portanto, caro empreendedor, ao procurar o investidor anjo, esteja seguro da potencialidade do seu negócio ou de sua ideia.

Seja qual for a modalidade escolhida para conseguir capital para seu negócio, é importante lembrar que, para empreender, a palavra-chave é disciplina. Disciplina para estudar o mercado e planejar o negócio, disciplina para controlar o fluxo de caixa e a rentabilidade financeira e, principalmente, disciplina para prestar conta aos seus investidores. Manter a credibilidade é o caminho para adquirir a confiança de quem investe.

Arnaldo Vhieira é coordenador do curso de logística do complexo educacional FMU.

Envie suas dúvidas sobre finanças para pme-exame@abril.com.br.