4 dicas para vender bem sua ideia

Empreendedores devem evitar depender de vídeos ou apresentações muito longas na hora do pitch, afirmam especialistas

São Paulo – Pitch é o termo utilizado por investidores-anjo e empreendedores para definir uma apresentação curta sobre a startup ou o produto. Engana-se quem acha que o pitch é somente para donos de startups. Saber apresentar em poucos minutos o que sua empresa faz é recomendável para qualquer tipo de empresário, pois pode ser útil em reuniões com potenciais parceiros ou com investidores.

Para conquistar um cliente ou investidor, não basta um vídeo bem editado ou uma apresentação com vários slides, o conteúdo precisa ser apresentado de forma objetiva e sem enrolação. Além disso, Luisa Ribeiro, CEO da aceleradora Papaya Ventures, recomenda que empreendedores façam versões diferentes do pitch. “Vão ter pessoas que têm menos conhecimento técnico e aí você precisa falar de forma mais geral. É preciso tomar cuidado com as nomenclaturas”, explica. Confira outras recomendações de especialistas.

1. Comece com o problema

Um erro cometido por empreendedores ao realizar um pitch é começar falando da solução que a empresa oferece. A primeira coisa que deve ser apresentada é o problema, de acordo com Andre Diamand, investidor da VentureOne. “Se esse problema impacta o próprio dono da startup é possível falar o que você sentiu na pele”, explica.

Faz parte do dever de casa também pesquisar sobre as pessoas com quem você irá falar. “Preste atenção no público. Poucos empreendedores pesquisam sobre os investidores”, afirma Cassio Spina, investidor e presidente da associação Anjos do Brasil.

2. Ressalte o potencial do mercado

Em seguida, faça a relação entre o seu problema e o possível público alvo de seu produto ou serviço. Mostrar para o investidor quantas pessoas também sofrem do problema que você quer resolver é uma maneira de chamar a atenção.


Fale, brevemente, sobre a sua equipe, para que o outro lado tenha uma visão de time e da capacidade de resolução do problema. “De forma sucinta e não seja técnico demais. Tem que apresentar um pouco dele mesmo e eventualmente se tiver sócios, sobre a formação e responsabilidade de cada um na empresa”, ensina Spina.

3. Apresente o produto

É só ao final da conversa que você deve apresentar a solução. É nesse momento que as características e funcionalidades do aplicativo ou o site criado pela sua equipe devem ser listadas. Diamand ressalta que esta é a hora de mostrar um teste ou protótipo da solução. “Você vai mostrar para o investidor que a ideia é remota, mas talvez dê certo”, completa.

Além disso, é no final do pitch que os empreendedores devem falar, de forma clara, o que precisam do investidor. Seja apoio em inovação ou capital, é importante mostrar o que a startup quer.

4. Fuja de apresentações extravagantes

Durante competições de startups é comum que apresentações em slides ou vídeos auxiliem no discurso. “O que é um pouco perigoso são esses shows, com vídeos maravilhosos, discursos afiados e pouco conteúdo”, afirma Luisa. O investidor pode achar o vídeo legal, mas somente isso não basta.

No caso de apresentações em Power Point, preste atenção no tamanho: o ideal é que não ultrapasse 10 slides. Vídeos devem ter no máximo de 1 minuto de duração. “Não economize na beleza da apresentação e se atente aos erros de português”, afirma Diamand. Para Spina, quanto mais limpos e menos texto, melhor.