3 mitos sobre inovação em pequenas empresas

Lourenço Bustani lista os principais pensamentos que empresários têm ao inovar o negócio

Quais são os mitos sobre inovação dentro de uma empresa?

Respondido por Lourenço Bustani, especialista em inovação

Não é preciso muito tempo de mercado para sentir na pele que a resistência é uma reação inerente a qualquer processo inovador. O meio, sabemos, tende sempre a preservar as coisas do jeito que estão, e para muita gente esse é o caminho mais fácil e seguro. Mas quais as reais motivações dessa resistência e dessa tendência à inércia? Para mim, boa parte se deve ao fato de que alguns mitos circulam dentro das empresas:

Mito 1: Inovar é caro
Há quem acredite que só inova aquele que investe milhões. A inovação pode brotar de forma espontânea, sem diretrizes ou grandes investimentos, pois está ao alcance de uma mudança sutil, uma nova pergunta, uma nova resposta, inspirações inusitadas que podem brotar no acaso do dia a dia e que são capazes de desencadear passos cada vez maiores.

Mito 2: A inovação vem de fora para dentro
A inovação não é um segredo escondido a sete chaves ou um “produto” restrito apenas a algumas cabeças pensantes. É claro que, muitas vezes, uma visão de fora se torna uma ponte ideal para estimular a busca pelos insumos da inovação, mas é importante ter em mente que o seu núcleo pode vir do “chão da fábrica”, de qualquer mente envolvida com o que de fato é relevante para aquele negócio.

Mito 3: Inovação é sinônimo de mudança radical
Muitas vezes, o caixa vai bem e empresas investem orçamentos surreais em suas áreas de inovação, promovendo mudanças extremamente disruptivas em seu negócio.

Não há dúvidas de que, muitas vezes, isso é necessário. Por outro lado, é preciso uma maior valorização da inovação incremental, relativamente sutil, aplicada a uma face ou a uma necessidade específica da empresa, mas que pode ser encarada como o início de um círculo virtuoso e exponencial de inovações.