Xerox se divide em duas empresas independentes

Ambas serão cotadas na Bolsa: uma dedicada à gestão de documentos e a outra, aos serviços

O grupo americano Xerox, pressionado pelo investidor Carl Icahn, anunciou nesta sexta-feira sua divisão em duas empresas independentes, que serão cotadas na Bolsa: uma dedicada à gestão de documentos e a outra, aos serviços.

Após a operação, prevista para ser concluída no fim de 2016, os representantes de Icahn receberão a oferta de três dos nove postos no conselho de administração da segunda empresa.

Anunciada por ocasião da publicação dos resultados de 2015, esta mudança marca o fim da estratégia de diversificação aplicada desde a chegada da diretora geral do grupo, Ursula Burnes, em 2009.

Em Wall Street, o título do grupo operava em alta nas negociações eletrônicas.

A Xerox obteve lucro de 488 milhões de dólares em 2015, contra US$ 1,01 bilhão em 2014.

Ajustado por ação, o lucro foi de 32 centavos, um pouco acima dos 28 centavos esperados pelos analistas.

O volume de negócios foi de 18,05 bilhões de dólares, uma queda de 8% na comparação com o ano anterior.