Warren Buffett se une a novato com barraca de cerveja

O bilionário vai pegar uma carona na Oktoberfest de Munique oferecendo 60 voos com origem e destino na capital bávara

Frankfurt e Munique – Virar copos gigantes de cerveja na Oktoberfest de Munique em tendas cheias de dirndls e lederhosen (vestidos e calções bávaros) é uma tentação à qual milhões de pessoas não conseguem resistir. Algumas inclusive pagarão 58.000 euros (US$ 75.000) pelo privilégio.

É isso que a Aviation Broker GmbH, uma empresa com sede em Frankfurt que aluga aviões privados, está cobrando de oito russos para irem de Moscou ao maior festival do mundo — cervejas e hospedagem à parte. Quando eles chegarem à festa deste ano, que começa amanhã, serão levados para a primeira nova barraca do evento em três décadas.

O festival, que se realiza há 204 anos, iniciado em homenagem ao casamento do príncipe herdeiro da Baviera, Luís, tornou-se um negócio próspero para Munique, com fornecedores, companhias aéreas, hotéis e restaurantes colhendo milhões de euros em lucros.

Os 6,4 milhões de visitantes do ano passado ao “Wies’n”, como os habitantes locais chamam o evento, injetaram um total de 1,1 bilhão de euros na economia local, segundo dados da cidade.

“É um festival enorme e alegre que de certa forma se tornou maior e mais conhecido do que Munique em si mesma”, disse Christian Fries, um habitante da cidade que participa regularmente do evento.

Siegfried Able, um empreendedor gastronômico de 50 anos que antes gerenciava uma pequena concessão na Oktoberfest, certamente entende sua atratividade. Ele superou 19 concorrentes pela chance única de administrar uma das 14 grandes barracas.

Em uma cidade que prefere o que foi experimentado e testado, ele aproveitou a condenação por evasão fiscal do proprietário anterior para inaugurar o primeiro novo estabelecimento principal desde 1984, quando um espaço de vinhos foi adicionado.

Banda oompah

“Administrar a nossa própria barraca grande no Wies’n é um sonho que se realiza”, disse Able, na semana passada, enquanto preparava sua barraca, que abrigará a tradicional banda oompah em um palco em forma de carrossel com cavalos giratórios. “O desafio como anfitrião do Wies’n é oferecer uma experiência inesquecível”.

Os políticos se reúnem na Oktoberfest para beber com a massa e as empresas planejam eventos ao redor da festa. Na semana que vem, o Goldman Sachs Group Inc. e o Joh. Berenberg, Gossler Co. KG realizarão em Munique a German Corporate Conference, um dos maiores eventos anuais para investidores da Alemanha.

O UniCredit SpA realizará uma reunião semelhante, que culmina em uma viagem para a barraca de cervejas Paulaner, administrada por uma das cervejarias mais famosas da cidade.

Até mesmo Warren Buffett está entrando em cena. A NetJets Inc., operadora de aviões privados da Berkshire Hathaway Inc., está planejando mais de 60 voos com origem e destino na capital bávara durante o festival.

O número de clientes que vão à Oktoberfest deu um salto de 32 por cento em 2013 e a companhia espera um crescimento maior neste ano, com a maior parte de seus voos para a Wies’n chegando da Alemanha, da Suíça e da Itália.

Um recorde de 885.000 passageiros passou pelo aeroporto de Munique na última semana de setembro de 2013, quase 20 por cento a mais que a média semanal. Entre os aviões privados, o número de partidas subirá para até 1.000 neste mês, 25 por cento a mais que a média mensal, segundo Björn-Alexander Schmidt, da PrivatPort Munich GmbH Co. A tripulação da Deutsche Lufthansa AG que levará convidados para a capital bávara se vestirá com os trajes folclóricos típicos completos.

Os hotéis também estão lucrando: dobram o preço dos quartos durante o festival. O custo dos poucos quartos ainda disponíveis no fim de semana do espetáculo de 16 dias para acomodações de médio porte custam a partir de 200 euros, segundo o departamento de turismo de Munique. O mesmo quarto geralmente sai por cerca de 100 euros.