Wall Street Journal divulga lista dos 20 maiores gurus de gestão da atualidade

Relação mostra que os homens de negócios diversificaram suas fontes de consulta e procuram agora de escritores a psicólogos

O consultor Gary Hamel é, atualmente, o pensador mais respeitado pelos homens e mulheres de negócios da atualidade. Hamel lidera a lista dos 20 gurus mais influentes de hoje, publicada pelo jornal Wall Street Journal, bem à frente de medalhões do mundo corporativo, como o mitológico Jack Welch, ex-presidente da General Electric. Welch ocupa um distante 18º lugar na relação. Hamel consolidou-se como superguru da administração ao publicar, em 1994, o livro “Competindo pelo futuro”, em parceria com C.K.Prahalad, professor da Universidade de Michigan.

Para seus admiradores, o mérito de Hamel é usar o bom senso para analisar os métodos de administração. Uma das idéias defendidas por ele é a de que, no longo prazo, o sucesso das empresas depende muito mais do modo como são administradas, que de sua estratégia ou de seus produtos. Como todo guru, Hamel não é imune a grandes escorregões. Em 2000, o autor publicou “Leading the Revolution” (sem edição em português). Na obra, Hamel apresentava a Enron como um dos grandes exemplos de companhias inovadoras e líderes em seus mercado. Como se sabe, a empresa foi abatida por um escândalo contábil. O caso da Enron foi suprimido das edições posteriores do livro.

Grandes idéias
Os cinco maiores gurus dos negócios, segundo o Wall Street Journal
Primeiro: Gary Hamel -consultor
Último livro: O futuro da administração

Frase: “A administração está ultrapassada… é uma tecnologia que parou grandemente de evoluir, e isto não é bom”.
Segundo: Thomas L. Friedman – colunista do New York Times
Último livro: Hot, flat and crowded (previsto para ser publicado em agosto)

Frase: “Quando o mundo é plano, você pode inovar sem ter de imigrar.”

Terceiro: Bill Gates – fundador da Microsoft
Último livro: Business @ the speed of tought

Frase: “O modo como você coleta, gerencia e usa a informação determinará se você vai vencer ou perder.”

Quarto: Malcolm Gladwell – escritor
Último livro: Blink: a decisão num piscar de olhos

Frase: “Há várias situações… nas quais a pressa não atrapalha, quando nossos estalos e primeiras impressões oferecem maneiras muito melhores de compreender o mundo”.
Quinto: Howard Gardner – professor de Harvard
Último livro: Responsability at work (participou como editor da obra)

Frase: “A competência cognitiva humana é melhor descrita como um conjunto de habilidades, talentos e capacidades que chamo de inteligências”.

De acordo com o WSJ, embora seja o líder, Hamel pode ser considerado o único superguru típico do ranking. Os demais citados representam uma grande variedade de áreas do conhecimento humano, abrangendo de jornalistas a psicólogos. Para o jornal americano, isso mostra que os executivos estão procurando, cada vez mais, variar suas fontes de informação, a fim de compreender as profundas transformações que o mundo e as relações humanas atravessam.

O segundo colocado no ranking ilustra bem essa mudança. Trata-se de Thomas Friedman, colunista do jornal New York Times e autor do best-seller “O mundo é plano”. O livro já vendeu mais de dois milhões de cópias em todo o mundo. Para Friedman, seu mérito é “oferecer às pessoas um modo bastante simples de explicar um conjunto complexo de mudanças que está, de fato, alterando o ambiente onde elas vivem, trabalham e atuam”.

Os 20 maiores gurus de hoje
Os mais influentes pensadores do mundo dos negócios, de acordo com o ranking do Wall Street Journal
Nome Área
1. Gary Hamel Consultor
2. Thomas L. Friedman Colunista do New York Times
3. Bill Gates Fundador da Microsoft
4. Malcolm Gladwell Escritor; autor, entre outros, de Blink
5. Howard Gardner Professor de Harvard
6. Philip Kotler Professor de Northwestern
7. Robert B. Reich Ex-secretário do Trabalho
8. Daniel Goleman Psicólogo
9. Henry Mintzberg Professor da McGill
10. Stephen R. Covey Autor do livro Os 7 hábitos das pessoas altamente eficazes
11. Jeffrey Pfeffer Professor de Stanford
12. Peter M. Senge Autor de Quinta Disciplina: a dança das mudanças
13. Richard Branson Fundador da Virgin
14. Michael E. Porter Professor de Harvard
15. Michael Dell Fundador da Dell
16. Geert Hosftede Professor de Harvard e autor de Culture’s Consequences
17. Clayton Christensen Professor de Harvard
18. Jack Welch Ex-presidente da GE
18. Tom Peters Autor de In search of excellence
19. Myron Scholes Prêmio Nobel
20. Ikujiro Nonaka Professor de Hitotsubashi

Compromisso com o trabalho

Howard Gardner, psicólogo e professor de Harvard, é outro exemplo de que o antigo modelo de guru – aquele do superexecutivo que fez uma carreira brilhante e, depois de aposentado, passou a ensinar o caminho – está perdendo espaço. Criador da teoria das múltiplas inteligências, Gardner era desconhecido pelos homens de negócio até 1996. Nesse ano, participou pela primeira vez do Fórum Econômico Mundial. Anos depois, foi convidado por um editor da Harvard Business Press a escrever um livro dirigido a esse público. Em 2004, era publicado “Changing Minds”, lançado no Brasil pela Artmed com o título de “Mentes que Mudam”.

De acordo com o WSJ, a popularidade de Gardner no mundo corporativo reflete o desejo das empresas de entender como é possível tornar os funcionários, parceiros e gestores mais engajados em suas atividades. Nos últimos anos, Gardner se preocupa, cada vez mais, com os fatores que contribuem para a criação de um ambiente de trabalho ético e responsável.

Demanda aquecida

Hamel, o guru mais respeitado, é também um dos mais bem pagos. Segundo ele próprio, seu cachê varia de 50.000 a 100.000 dólares, de acordo com o evento e o público. O valor reflete o aquecimento da demanda por palestras com grandes pensadores do mundo dos negócios. A maioria dos supergurus só sai de casa por um cachê entre 50.000 e 75.000 dólares. Um palestrante muito requisitado e autor de um best-seller pode, facilmente, faturar 1 milhão de dólares em um ano, entre cachês e royalties.

O ranking do WSJ foi elaborado por Thomas Davenport, professor de administração da Babson College. Davenport já havia elaborado uma lista semelhante em 2003. para chegar aos 20 maiores gurus do país, ele relacionou o número de citações de cada candidato no Google, a quantidade de menções na imprensa e o volume de citações em obras acadêmicas.