Volkwagen confirma Brasil como estratégico em negócio com MAN

MAN declarou que pode desistir da compra da Scania; jornal britânico diz que é possível que Volkswagen, MAN e Scania combinem divisões de caminhões em uma só companhia

A Volkswagen apresentou ao mercado, nesta segunda-feira (9/10), os primeiros planos para a busca de sinergias com as montadoras MAN e Scania, de quem é acionista. Em apresentação a analistas, a companhia confirmou que a integração da própria operação brasileira de caminhões às das duas outras montadoras é um “potencial próximo passo”, mas não detalhou a forma pela qual a operação se daria.

Na semana passada, a alemã Volks anunciou ter comprado participação de 15% na rival MAN, também sediada na Alemanha – na sueca Scania, a Volks possui 34% das ações com direito a voto. De acordo com a apresentação a analistas, a aquisição de papéis da MAN foi um “investimento baseado no claro entendimento da Volkswagen de criar sinergias máximas entre MAN e Scania, o que também maximizará o valor para o acionista da Volkswagen”. A integração da divisão brasileira de caminhões seria um instrumento para que as sinergias sejam atingidas, por ser considerada “altamente atraente” e por oferecer a oportunidade de expansão das vendas de MAN e Scania a mercados emergentes.

Também nesta segunda-feira, a MAN declarou que pensa em retirar a oferta de 12 bilhões de dólares que havia apresentado pela sueca Scania – proposta recusada pela Volkswagen. A decisão pode ser reflexo das negociações que MAN e Volks vêm mantendo nos últimos dias. “A Volkwagen recebe bem a proposta da MAN de retirar sua oferta sob condições que serão discutidas diretamente com as três partes envolvidas”, afirmou a Volks na apresentação a analistas, na qual ressaltou que “não aceitará qualquer solução que sacrifique potenciais sinergias”.

De acordo com o jornal britânico Financial Times, o desfecho das negociações entre Volks, MAN e Scania sairá de relatórios de equipes que avaliarão, nas três companhias, o potencial de sinergias. Alguns dos membros da V olkswagen, liderados por representantes da Porsche, estariam pressionando pela solução de uma nova companhia que fundisse as divisões de caminhões dos três grupos.

Ainda segundo o jornal britânico, executivos da Volkswagen dizem que o presidente do grupo, Bernd Pischetsrieder, está aberto quanto às possibilidades de aliança entre as montadoras, mas confirmam que a criação de um novo grupo apenas de caminhões é uma possibilidade.