VW bate recorde de vendas em 2017, dois anos após “dieselgate”

Com 12 marcas, entre elas Audi, Porsche, Seat, Skoda e os caminhões MAN e Scania, a montadora acelerou seus resultados em dezembro

As entregas do grupo automobilístico alemão Volkswagen, que luta com a Toyota e com a aliança Renault-Nissan-Mitsubishi para liderar o setor em nível mundial, bateram até 10,74 milhões de veículos em 2017 – um recorde – dois anos depois do chamado “dieselgate”.

Com 12 marcas, entre elas Audi, Porsche, Seat, Skoda e os caminhões MAN e Scania, a VW acelerou a tendência em dezembro, com 999.800 veículos vendidos no mundo – um aumento anual de 8,5%.

O grupo poderá, com isso, recuperar seu título de número um do mundo no setor, tomado da Toyota em 2016. O grupo japonês ainda não publicou seus dados anuais, mas a expectativa é de 10,35 milhões de veículos vendidos em 2017.

Depois de um ano ruim em 2015, a Volkswagen se recuperou em 2016, em termos de entrega aos clientes, e confirmou esse número no ano passado.

A China se consolida como primeiro mercado do grupo, com cerca de 4,2 milhões de veículos vendidos. As vendas subiram quase 18% somente em dezembro.

Na América do Sul, o mercado teve um crescimento espetacular de 23,7% de entregas de automóveis e caminhões, ou seja, 521.600 modelos vendidos, depois da queda de um quarto das vendas no ano anterior.