Votorantim tem queda de 85% no lucro líquido do 2º tri

O vice-presidente financeiro do grupo afirmou que a desvalorização do real reduziu o lucro em quase 700 milhões de reais

São Paulo – O grupo Votorantim divulgou nesta sexta-feira queda de 85 por cento no lucro líquido do segundo trimestre sobre um ano antes, resultado pressionado por efeitos cambiais, que ofuscaram o crescimento da receita.

O lucro líquido foi de 83 milhões de reais no período.

O vice-presidente financeiro do grupo, Sérgio Malacrida, afirmou que a desvalorização do real reduziu o lucro em quase 700 milhões de reais.

“No longo prazo, um real fraco é benéfico para a Votorantim, pois aumenta a receita em reais do grupo”, disse ele.

O faturamento da companhia subiu 22 por cento sobre um ano antes, para 8,2 bilhões de reais, impulsionado por preços maiores de metais e expansão na venda de cimento.

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) ajustado para a venda de ativos, subiu 15 por cento, para 1,7 bilhão de reais.

A relação dívida líquida sobre Ebitda terminou junho em 2,69 vezes, ante 2,58 vezes no trimestre anterior.

Malacrida reafirmou a meta da Votorantim de reduzir a alavancagem para nível abaixo de 2 vezes até o fim do ano, excluindo recursos advindos da venda da Fibria.