Volkswagen produzirá na Europa modelo desenvolvido no Brasil

Pela primeira vez em mais de 60 anos, o grupo irá fabricar globalmente um veículo projetado pela subsidiária brasileira

A Volkswagen vai produzir na Europa, pela primeira vez em sua história, um modelo projetado pela subsidiária brasileira. O veículo terá a mesma plataforma do SUV T-Cross, o mais novo lançamento da marca no Brasil, mas ainda é segredo. 

“O novo carro é fruto de um projeto feito no Brasil e toda tecnologia embarcada nele foi concebida por aqui. Queremos exportar essa tecnologia”, conta Ralf Brandstätter, chefe de operações da marca Volkswagen Passenger Cars. 

Segundo o executivo, o modelo foi apresentado pela subsidiária brasileira ao board do grupo, que gostou do projeto e vai exportar sua plataforma de produção. É a primeira vez que isso acontece em mais de 60 anos de história da Volkswagen do Brasil.

Brandstätter reforçou a importância do acordo fechado entre o Mercosul e a União Europeia, destacando, porém, que a estratégia do grupo para a América Latina é oferecer carros produzidos localmente, e que tenham sido projetados sob medida para a região.

O Brasil representa cerca de 6% das vendas totais da marca Volkswagen no mundo, sendo considerado um dos mais importantes mercados para o selo globalmente. No entanto, a China ainda responde pela metade dos emplacamentos da marca.

De janeiro a julho, as vendas da Volkswagen no Brasil cresceram 12,1% sobre igual período do ano passado, encerrando o período com uma participação de 14,9% do mercado brasileiro.

Argentina

A crise na Argentina está preocupando toda a indústria automotiva. Segundo Pablo Di Si, presidente e CEO da Volkswagen América Latina, a montadora está estudando qual o tamanho do impacto da retração do mercado argentino nas operações brasileiras, já que uma parcela importante das exportações da subsidiária brasileira é destinada ao país vizinho.

Veja também

As vendas de veículos na Argentina caíram quase 50% neste ano, mesmo com incentivos recentes do governo para a compra de carros novos. “Nas próximas duas semanas, vamos avaliar se será necessário realizar alguma parada nas linhas brasileiras em decorrência da crise na Argentina”, afirmou Di Si.

Ainda assim, a empresa ressalta que a produção de transmissões na fábrica de Córdoba tem mantido os níveis normais, já que 90% dos volumes são exportados. Na planta de Pacheco, a empresa está concluindo uma nova linha de pintura, que abrigará a implementação do modelo Tarek, que vai competir no mercado de SUVs médios. Lá também é produzida a picape Amarok.