Vivendi concorda com avaliação da venda da TIM pela Telecom

A Vivendi é favorável que a Telecom Italia estude a venda da TIM para se concentrar em seu mercado doméstico, segundo fontes

A Vivendi SA, maior investidora da Telecom Italia SpA, é favorável a que a operadora estude a venda de sua divisão brasileira para se concentrar em seu mercado doméstico, segundo fontes informadas sobre o assunto.

Embora a Vivendi não planeje ser uma acionista ativista, o presidente do conselho, Vincent Bolloré, está ansioso para ver a Telecom Italia estudar a alienação da Tim Participações SA nos próximos dois anos e possivelmente combinar a Telecom Italia com uma rival europeia a médio prazo, disse uma das fontes, que pediu anonimato porque as deliberações são privadas.

Embora não exista um comprador evidente, a Telecom Italia está aberta a vender a TIM se essa venda criar valor, disseram duas das fontes.

A TIM, segunda maior operadora de telefonia celular do Brasil atrás da unidade local da Telefónica SA, tem um valor de mercado de quase US$ 8 bilhões e a Telecom Italia é dona de 67 por cento da empresa.

A Vivendi pretende aumentar sua participação na Telecom Italia para até 15 por cento nos próximos dias, disseram fontes informadas sobre o assunto nesta semana.

A Vivendi está obtendo uma participação de 8,3 por cento depois que um pacto de oito anos entre os acionistas, que manteve a empresa dominante do setor de telecomunicações na Itália sob propriedade da Telefónica e de um grupo de investidores financeiros, foi desfeito.

A Bloomberg News reportou em 27 de abril que Bolloré estava estudando comprar mais ações da Telecom Italia.

Uma jogada do tipo poderia ser o primeiro de uma série de negócios de Bolloré, 63, para reforçar a presença da Vivendi na Itália e de forma mais ampla no sul da Europa, disse uma das fontes que conhecem a maneira de pensar do bilionário.

Programa para cortar custos?

Bolloré, que está por trás de uma reformulação da Vivendi, quer que o plano de negócios da Telecom Italia inclua um componente de corte de custos, disseram duas das fontes.

Apesar de as receitas da Telecom Italia estarem estagnando, as margens de lucro da operadora, medidas pelos lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização como uma porcentagem da receita, são maiores que as de pares como a Deutsche Telekom AG e a Orange SA, mostraram dados compilados pela Bloomberg.

Representantes da Vivendi, que tem sede em Paris, e da Telecom Italia, que tem sede em Milão, preferiram não comentar.

O presidente do conselho da Telecom Italia, Giuseppe Recchi, disse recentemente, em março, que a TIM é estratégica e que não planeja vender a divisão.

Na Telecom Italia, a Vivendi ganha um aliado com extensas redes de banda larga e telefonia celular e dezenas de milhões de clientes. A Vivendi, dona da maior provedora de TV paga da França, o Canal Plus, disse que está procurando parceiros que possam ajudar a distribuir seus programas esportivos, séries de TV e músicas.

Na Vivendi, Bolloré desmantelou, em grande parte, o legado do ex-CEO Jean Bernard Levy, vendendo ativos de telecomunicações na França, no Norte da África e no Brasil, assim como a produtora de videogames Activision Blizzard Inc.

Essas vendas deram a Bolloré amplos recursos financeiros para cumprir seu objetivo declarado de reorientar a Vivendi para a mídia e o conteúdo.