Viracopos Aeroportos quer dobrar receita com terminal

Companhia abriu um processo seletivo para a comercialização de áreas disponíveis no novo terminal de passageiros do Aeroporto de Viracopos, que deve ser inaugurado em 2014

São Paulo – A Viracopos Aeroportos Brasil pretende dobrar a receita comercial quando passar a operar o novo terminal em Campinas, a noroeste de São Paulo, em maio de 2014. De olho nesse potencial, a companhia abriu um processo seletivo para a comercialização de áreas disponíveis no novo terminal de passageiros do Aeroporto de Viracopos, que deve ser inaugurado em 2014, com capacidade para 14 milhões de viajantes por ano. O diretor comercial da Viracopos Aeroportos, Aluízio Margarido, disse que a decisão de abrir para a “manifestação de interesse” segue uma prática internacional e também foi tomada para que o processo seja “o mais democrático possível”, tendo em vista a demanda observada.

O novo terminal tem cerca de 11 mil metros quadrados de área bruta locável (ABL) e a previsão da empresa é alugar mais de 65 pontos comerciais. A expectativa é ter 100% do espaço arrendado na abertura do novo terminal. De acordo com Margarido, mais de 50 potenciais investidores demonstraram interesse informal, até mesmo marcas internacionais, como os duties free da Alemanha e de Dubai.

Além do duty free, entre os negócios disponíveis, estão lojas de alimentação, como restaurantes, cafés e redes de fast-food; lojas de departamento; de vestuário, calçados, perfumaria e cosméticos; de artigos eletrônicos; de acessórios e produtos para viagem; de suvenires; locadora de carros; farmácia e drogaria, e supermercado.

“Hoje em dia, as receitas comerciais são importantes para os aeroportos porque quanto maior essa receita, menor podem ser as tarifas para as companhias aéreas”, disse, comentando a tendência de criação de “aeroshoppings”. Segundo ele, os ganhos comerciais do aeroporto devem dobrar quando o terminal operar. Ainda assim, não devem ter uma participação tão significativa no total do resultado, disse, sem dar números. “Cerca de 70% das receitas provêm de carga, a comercial não é tão significativa, e mesmo dobrando não vai mudar a configuração”, disse. A Viracopos administrará as operações comerciais. Conforme Margarido, a concessionária conversou com “grandes operadores” de shoppings centers, mas as negociações não progrediram.

Manifestação de Interesse

Os interessados em participar da seleção de lojistas deverão preencher a uma “Manifestação de Interesse”, disponível no endereço eletrônico http://www.viracopos.com/comercial.html, até 26 de abril. Após a análise dos interessados, a concessionária enviará para os aprovados um segundo documento com informações e orientações necessárias para a formulação da proposta comercial, o que está previsto para maio. Somente neste segundo caderno, será veiculada a planta das áreas comerciais disponíveis, bem como definidos os critérios e prazos de contrato.

A Aeroportos Brasil Viracopos exige que os candidatos interessados tenham no mínimo três anos de experiência no negócio; tenham obtido faturamento médio mínimo anual de R$ 1 milhão, para lojas, nos últimos três anos (ou, no caso de quiosques, registrado faturamento médio anual mínimo de R$ 360 mil), e que não tenham dívidas com Viracopos e a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), nem estejam envolvidos em litígios com essas empresas. “Queremos evitar aventureiros, (empreendedores) sem estrutura ou experiência anterior. Aeroporto é diferente de shopping, o trabalho é 365 dias por ano, 24 horas por dia, precisa de pessoas com treinamento de segurança, e de preferência que falem língua estrangeira”, declarou.

O contrato deverá ter cinco anos, mas os custos com cessão de direitos e de ocupação ainda não estão definidos e, de acordo com Margarido, deverão variar conforme o espaço e o tipo de serviço a ser oferecido. A expectativa da Aeroportos Brasil é assinar os contratos até agosto e tornar disponíveis os espaços para a montagem das lojas entre janeiro e fevereiro. “Queremos iniciar operação com 100% de ocupação”, disse.