Vendas de utilitário que papa usou na Coreia do Sul disparam

O papa chegou a Seul dia 14, quando utilizou o carro pela primeira vez, e ficou no país até 18 de agosto, quando os pedidos do Kia Soul alcançaram pico

Seul – As vendas do utilitário Kia Soul dispararam depois de ser utilizado pelo papa Francisco durante sua recente visita à Coreia do Sul e a imagem desse a volta ao mundo, revelou nesta quinta-feira a marca sul-coreana.

O número de pedidos locais da segunda geração do utilitário subiu até uma média de 32,5 unidades diárias entre 11 e 20 de agosto, 62,5% a mais comparado com o mês anterior.

O papa chegou a Seul dia 14, quando utilizou o carro pela primeira vez, e ficou no país até 18 de agosto, quando os pedidos do Kia Soul alcançaram um pico de 52.

Os diretores da marca sul-coreana reconheceram que a vendas mensais deste modelo eram bastante “insignificantes” e que a mudança de tendência “tem muito a ver com a visita do papa”, segundo comentários divulgados pela agência de notícias “Yonhap”.

Agora a companhia espera que a demanda deste modelo também cresça no exterior devido ao “efeito Francisco”. Foram vendidas 139.048 unidades entre janeiro e julho deste ano.

A escolha do papa de um Kia Soul de cor azul e com motor de 1,6 cc surpreendeu muito na Coreia do Sul, onde se esperava que o pontífice utilizasse um veículo de alto luxo em suas andanças pelo país.

A organização da visita papal revelou que Francisco insistiu que queria “o menor” dos carros fabricados na Coreia do Sul e rejeitou outros veículos maiores que poderiam ser mais facilmente blindados.

A imagem de Francisco cumprimentando os fieis pelo utilitário deu a volta ao mundo e a imprensa internacional destacou que a escolha modesta do pontífice contrastava com o estilo ostentoso que está se impondo ultimamente na Coreia do Sul, e ironicamente criticada no vídeoclipe “Gangnam Style” de Psy.