MMX inicia reestruturação com venda do Porto Sudeste

Segundo o presidente da MMX, Carlos Gonzalez, o acordo definitivo de venda traz aporte necessário para conclusão do Porto do Sudeste

Rio – O presidente da MMX, Carlos Gonzalez, afirmou nesta sexta-feira, 18, que o acordo definitivo de venda de 65% do Porto do Sudeste a Trafigura e Mubadala é uma continuidade no processo de reestruturação da empresa.

“Com isso concluímos a primeira etapa da venda de ativos, que traz aporte necessário para conclusão do Porto do Sudeste. A MMX se torna uma companhia sem dívida, com a vantagem logística de um contrato de 7 milhões de toneladas e adicionais de mais 6 milhões (com o porto)”, disse.

O Credit Suisse e a XP foram contratados como “advisors” para montar uma estrutura de aporte de capital ou participação na mineradora. A operação poderá incluir troca de controle.

Segundo Gonzalez, o desafio é a expansão da mina de Serra Azul. Nela, já foram investidos US$ 700 milhões em equity. “Sabemos que é preciso fazer uma readequação”, disse.

Gonzalez informou que o novo plano de negócios da MMX deverá ser apresentado na primeira semana de novembro.

Segundo semestre de 2014

O início de operações do Porto do Sudeste está previsto para o segundo semestre de 2014, com embarque de 4 milhões a 5 milhões de toneladas no ano, de acordo com Gonzalez, em teleconferência a analistas.

Indagado sobre o capex necessário para finalizar o porto, Gonzalez informou que ele está equacionado com os US$ 400 milhões a serem injetados por Mubadala e Trafigura no negócio e outras duas etapas de empréstimos a serem liberadas pelo BNDES, num valor total de US$ 300 milhões. Gonzalez também informou que, na verdade, esse montante será aplicado não apenas nas obras, mas também nas fases de pré-comissionamento e comissionamento, além de compra de equipamentos.

Dívida com BNDES

Os novos sócios do Porto do Sudeste da MMX já iniciaram conversas com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para renegociar as dívidas relativas ao porto.

Em teleconferência com analistas, executivos da companhia informaram que o cronograma da amortização da dívida com o BNDES é de dez anos. Ela engloba um crédito de cerca de R$ 900 milhões, que já está sendo pago, além de uma suplementação posterior, ainda em período de carência.

A MMX Porto Sudeste está rediscutindo todo o pacote para buscar uma extensão com o banco.

*Matéria atualizada às 14h27