Venda do Porto Sudeste depende da MMXM11, dizem fontes

Segundo três fontes, Trafigura e Mubadala pediram o ativo ligado a royalties para concluir a compra de 65% do porto

São Paulo – Trafigura Beheer BV e Mubadala Development Co. de Abu Dhabi pediram o ativo ligado a royalties para concluir a compra de 65 por cento do Porto Sudeste, disseram 3 pessoas com conhecimento do assunto, que pediram anonimato porque as discussões são privadas.

Eike Batista detém cerca de 67 por cento da MMXM11, uma fatia avaliada em US$ 885 milhões.

Itaú Unibanco Holding SA e Banco Bradesco SA têm direito a parte do ativo porque Eike usou pelo menos US$ 250 milhões como garantia em empréstimos com esses bancos, disseram as pessoas. Os bancos, com sede em São Paulo, exigem uma compensação se for realizada uma transferência para a Trafigura e a Mubadala.

Bradesco, Itaú, MMX, Trafigura e Mubadala não quiseram comentar.

A Trafigura e a Mubadala assinaram um memorando com MMX para terem 65 por cento do Porto Sudeste por US$ 400 milhões.