Venda de unidade da Nokia à Microsoft gera protesto na China

Centenas de trabalhadores chineses protestavam nesta quarta-feira contra o que chamam de remuneração injusta

Dongguan – Centenas de trabalhadores chineses protestavam nesta quarta-feira em frente a uma fábrica da Nokia, no sul da China, contra o que chamam de remuneração injusta, após a empresa vender seus negócios de telefonia móvel para a Microsoft.

A falta de confiança nos empregadores frequentemente faz com que trabalhadores chineses se oponham a aquisições por temer que suas condições de trabalho piorem.

Os trabalhadores, que juntaram-se no lado de fora dos portões da fábrica na cidade industrial de Dongguan, disseram que estão lutando contra os novos contratos que foram obrigados a assinar quando a gigante dos Estados Unidos comprou a unidade da Nokia, em setembro.

A empresa baseada na Finlândia disse em email enviado à Reuters que continua a dialogar com os manifestantes.

A Nokia concordou em setembro em vender a sua divisão de dispositivos e serviços móveis e em licenciar patentes para a Microsoft, depois de não conseguir se recuperar de um início tardio no mercado de smartphones.

A venda está prevista para ser concluída no primeiro trimestre do próximo ano, após as aprovações dos órgãos reguladores.