Vale tem produção recorde de minério no 3º tri, mas mantém meta

Apesar de ter elevado em 3,6% a produção ante o segundo trimestre, a maior produtora global de minério de ferro manteve sua meta para o ano

Rio de Janeiro – A mineradora brasileira Vale produziu o volume recorde de 95,1 milhões de toneladas de minério de ferro no terceiro trimestre, alta de 3,3 por cento ante o mesmo período do ano passado, com impulso de uma melhor performance operacional no Sistema Norte e do desenvolvimento da mina S11D, no Pará.

A maior produtora global de minério de ferro ainda elevou em 3,6 por cento a produção ante o segundo trimestre, mas manteve sua meta para o ano, segundo o relatório publicado nesta quinta-feira.

O Sistema Norte, que compreende Carajás, Serra Leste e S11D, atingiu recorde trimestral de 45 milhões de toneladas entre julho e setembro, alta de 16,4 por cento ante o mesmo período de 2016.

Apesar do recorde, a companhia reiterou que a produção em 2017 ficará próxima ao limite inferior da faixa projetada para o ano, de entre 360 milhões e 380 milhões de toneladas, devido à sua estratégia de reduzir a produção de minério de menor qualidade.

Conforme anunciado anteriormente, a extração de minério de alta sílica dos Sistemas Sul e Sudeste foi reduzida em quantidade anualizada de 19 milhões de toneladas.

Dessa forma, o teor de ferro médio foi de 64,1 por cento no terceiro trimestre, ligeiramente maior do que o de 63,8 por cento no segundo.

Para o longo prazo, a empresa também reafirmou sua meta de produção de 400 milhões de toneladas por ano.

A ação ordinária da Vale operava em queda de 1,3 por cento às 10:15, enquanto o Ibovespa caía 0,65 por cento no mesmo horário.

Embarques

Os embarques de minério de ferro e pelotas do Brasil e Argentina totalizaram 86 milhões de toneladas no terceiro trimestre, ficando 9 milhões de toneladas e 1,7 milhão de toneladas maiores do que no terceiro trimestre de 2015 e no terceiro trimestre de 2016, respectivamente, devido, principalmente, à maior produção no Sistema Norte.

Os embarques feitos pela Argentina referem-se ao Sistema Centro-Oeste, que compreende a unidade ativa de Urucum.

Dessa forma, o percentual de estoques no exterior em relação ao total do estoque aumentou de 15 por cento, em 2015 e 2016, para 30 por cento, no terceiro trimestre, refletindo a estratégia de deslocamento dos estoques ao longo da cadeia e para mais perto dos clientes finais.

A expectativa, segundo a Vale, é de manter os 30 por cento do total do estoque no exterior até o final de 2017.

Os volumes de venda para o terceiro trimestre foram menores do que os volumes de produção, implicando em um leve aumento dos estoques como resultado de necessidades operacionais e estratégias de mercado.

A Vale ressaltou, no entanto, que a relação entre vendas e produção, ficou maior do que no segundo trimestre.

Já a produção de níquel da Vale alcançou 72,700 mil toneladas no terceiro trimestre, alta de 10,2 por cento ante o segundo trimestre, “devido, principalmente, ao retorno da produção do forno 2 de Sudbury em julho, à forte performance de produção em Thompson e à sólida performance em Onça Puma”.

Em meados de setembro, Sudbury concluiu a transição para o fluxo operacional com forno único e passou a operar desta forma.