Vale tem 14 barragens interditadas em “nível de emergência” em MG, diz ANM

Duas delas, em Ouro Preto e Barão de Cocais, são classificadas com "nível 3", o que significa "risco iminente" de rompimento

A lista de barragens interditadas pela Agência Nacional de Mineração (ANM) nesta quarta-feira, 9, inclui 14 barragens da mineradora Vale localizadas em Minas Gerais. Segundo informações da agência, essas barragens estão em “nível de emergência”.

Duas delas, em Ouro Preto e Barão de Cocais, são classificadas com “nível 3”, o que significa “risco iminente” de rompimento.

Outras duas, em Ouro Preto, estão classificadas com “nível 2”, quando há uma ação que está sendo realizada para sanar o problema, mas o controle da anomalia não está sendo eficaz.

As outras dez barragens, em “nível 1”, estão com “comprometimento potencial de segurança”. Elas estão localizadas nos municípios de Nova Lima, Mariana, Ouro Preto, Itabirito, Belo Vale, Itabira e Brumadinho. A Vale ainda não se manifestou sobre o assunto.

Além das barragens da mineradora, a ANM interditou outras 40 que não enviaram ou não atestaram a Declaração de Condição de Estabilidade (DCE) no segundo semestre de 2019.

O documento, destacou a agência, é obrigatório para as 423 estruturas inseridas na Política Nacional de Segurança de Barragens e devia ser entregue até 30 de setembro.

“As barragens interditadas e sem DCE estão sendo monitoradas de perto e diariamente pelos agentes da ANM”, diz Luiz Paniago, gerente de Segurança de Barragens de Mineração da ANM.

A Vale, maior exportadora global de minério de ferro, havia informado na semana passada que obteve 82 declarações de estabilidade, mas que algumas de suas barragens haviam permanecido sem o atestado de estabilidade.

(Com Reuters e Estadão Conteúdo)