Vai hidrogênio com seu peixe? Japão mira delivery do combustível

O hidrogênio em breve será entregue em residências no norte do Japão pelos mesmos caminhões que transportam alimentos e garrafas d’água

Tóquio – Quer uma lata de energia limpa com sua cesta de cenouras e peixe fresco?

O hidrogênio em breve será entregue em residências no norte do Japão pelos mesmos caminhões que transportam alimentos e garrafas d’água como parte de um projeto-piloto para incentivar o uso maior de combustível limpo.

O projeto, liderado por Hitachi e Marubeni, foi desenvolvido para aproveitar a demanda doméstica por energia do hidrogênio derivada de fontes não poluentes, especialmente em regiões remotas. As duas empresas trabalharão com uma cooperativa local de consumidores para usar suas redes de entregas para economizar custos.

A entrega em domicílio poderia ajudar a expandir o uso de hidrogênio em zonas rurais onde não há gasodutos disponíveis e os moradores dependem da entrega de cilindros de gás liquefeito de petróleo. Algumas empresas no Japão oferecem células de combustível domésticas capazes de extrair hidrogênio de suprimentos de gás fornecidos principalmente por empresas regionais.

“Há muita pesquisa sobre como produzir e armazenar hidrogênio”, disse Ryusuke Gotoda, vice-gerente geral da unidade de hidrogênio da Hitachi, em entrevista, em Tóquio. “Mas o gargalo é a parte do consumo. Se levarmos o hidrogênio para as residências haverá um enorme potencial.”

As empresas visam a atender algum dia a cerca de 47 por cento das famílias do Japão sem acesso a gás urbano e 28 milhões membros de cooperativas estabelecidas para compras de produtos alimentícios em grupo.

O Japão é um bom lugar para testar o apetite do consumidor pelo hidrogênio. O governo federal, com o esforço do primeiro-ministro Shinzo Abe para desenvolver o Japão como uma “sociedade do hidrogênio”, é um defensor entusiasmado dessa fonte de combustível.

O Japão já é líder em células de combustível domésticas, com mais de 200.000 unidades já instaladas. Os dispositivos, chamados de fazendas de energia (ene-farms), convertem gás em eletricidade e calor.

Para o projeto-piloto de entrega na cidade de Tomiya, na prefeitura de Miyagi, a energia solar será usada para produzir hidrogênio por meio de eletrólise. O hidrogênio será absorvido em ligas — uma tecnologia comprovada usada em baterias de níquel-hidreto metálico — e transportado em cartuchos. O Ministério do Meio Ambiente do Japão está financiando o projeto.

Cerca de 24 milhões de casas dependem de GLP no Japão, enquanto 27 milhões de famílias têm acesso ao gás urbano por meio de dutos, segundo a Associação do Gás Liquefeito de Petróleo do Japão.

No piloto de três anos, os sistemas de células de combustível serão instalados em três casas e em dois outros edifícios até o início de 2019. Os cartuchos de hidrogênio, cada um com cerca de 20 quilos, serão entregues e instalados no dispositivo de célula de combustível por um motorista que coletará cartuchos usados.

A Brother Industries fornecerá os sistemas de células de combustível de 700 watts que oferecerão a mesma produção que as ene-farms.

“Quando outras fabricantes se unirem à Brother para produzir esse tipo de célula de combustível, os custos serão reduzidos”, disse Yoichi Fujimoto, responsável pelo projeto da Marubeni. “Nosso sistema mostrará que é muito mais fácil de usar porque não requer reforma do gás.”

Gráfico da Bloomberg Japão

(Gráfico/Bloomberg)