Uso da capacidade instalada deve atingir 50%, diz Gerdau

O laminador de bobina a quente da siderúrgica deverá atingir 50% da utilização da capacidade neste ano, disse o presidente da empresa, André Gerdau Johannpeter

São Paulo – O presidente da Gerdau, André Gerdau Johannpeter, disse, há pouco, com conversa com jornalistas, que o laminador de bobina a quente da siderúrgica deverá atingir 50% da utilização da capacidade neste ano.

“Está dentro do planejado”, disse.

No segundo semestre do ano passado, a Gerdau iniciou as vendas de aço plano no Brasil, após o início de operações de seu laminador de bobinas a quente instalado na usina de Ouro Branco (MG), de capacidade de 800 mil toneladas anuais.

Esse segmento era anteriormente atendido apenas por CSN, Usiminas e ArcelorMittal.

O executivo diz que a expectativa da companhia em relação ao mercado segue em linha com a revisão de estimativa anunciada nesta segunda-feira, 11, pelo Instituto Aço Brasil (IABr), que era de expansão e passou a ser de queda.

Para a produção, por exemplo, era esperada alta de 5,2%, sendo que agora a projeção aponta para uma queda de 2,5%.

As vendas internas eram previstas para subir 4,1%, número revisado para queda de 4,9%.

O consumo aparente de aço, por sua vez, era projetado pelo IABr para crescer 3% em 2014 em relação ao ano anterior, porcentual agora estimado para cair 4,1%.

O presidente da Gerdau disse que a companhia analisa as oportunidades que podem surgir no mercado para aquisição, mas que no momento a companhia não analisa nenhum ativo.

Em abril, a Gerdau apresentou proposta para assumir as operações da Ascometal, produtora de aços especiais baseada na França.

À época, a companhia disse que o objetivo com essa operação é de ampliar a sua presença no mercado globalizado da indústria automobilística, como fornecedor de aços longos especiais (SBQ).

No entanto, ao fim do processo, o consórcio francês Sparkling acabou assumindo as operações da siderúrgica francesa.

Questionado sobre a investida da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) para adquirir a usina Gallatin Steel, da siderúrgica gaúcha e da indiana ArcelorMittal, Johannpeter disse que não comenta rumores de mercado.