Usiminas vai economizar R$ 40 milhões por ano com adoção de gás natural

Combustível será usado em alto-forno e na aciaria da siderúrgica

São Paulo – A Usiminas espera economizar 40 milhões de reais por ano com a adoção de gás natural no alto-forno 3 e na aciaria. A expectativa é de que sejam consumidos 90.000 metros cúbicos de gás por dia, fornecidos pela Companhia de Gás de Minas Gerais (Gasmig).

A estimativa é válida até junho de 2011. Até lá, o alto-forno deve consumir cerca de 72.000 metros cúbicos diários de gás, sendo o restante absorvido pela aciaria. Depois, o alto-forno deverá consumir 120.000 metros cúbicos. O combustível substituirá o coque usado atualmente no equipamento.

Já na aciaria, o abastecimento começará em dezembro e vai substituir o gás liquefeito de petróleo (GLP), que hoje responde por 70% do consumo desta fase da produção.

A adoção deve se estender a outras partes da Usiminas. Até meados de 2013, a siderúrgica espera levar o gás natural para os setores de laminação de tiras a quente, chapas grossas, áreas de recozimento e caldeiras, além das duas linhas de galvanização.