UE acusa HSBC, JPMorgan e Crédit Agricole de manipular taxa

Comissão informou aos bancos sobre os motivos pelos quais considera que manipularam a taxa de juros interbancária europeia Euribor

Bruxelas – A Comissão Europeia informou aos bancos HSBC, JPMorgan e Crédit Agricole sobre os motivos pelos quais considera que manipularam a taxa de juros interbancária europeia Euribor, anunciou a instituição.

O Executivo europeu condenou em dezembro quatro bancos (Barclays, Deutsche Bank, Société Générale e Royal Bank of Scotland) ao pagamento de uma multa de 1,04 bilhão de euros por participação em um acordo ilegal para manipular a Euribor.

A Comissão informou que considera que “Crédit Agricole, HSBC e JP Morgan, de maneira preliminar, podem ter violado as regras de concorrência da União Europeia (UE) com um acordo para influenciar o preço dos produtos derivados de taxas de juros em euros”, segundo um comunicado.

A investigação contra os três bancos começou em março de 2013 e envolve a manipulação da taxa interbancária Euribor (Euro Interbank Offered Rate), que determina o custo do dinheiro para os empréstimos entre bancos e incide nos créditos a particulares e empresas, e sobre a qual estão indexados vários contratos e produtos financeiros (contratos a futuro, swaps ou opções).

No total, 57 bancos participam na elaboração da Euribor.

A comunicação dos motivos é uma etapa formal na investigação da Comissão relativa à suposta violação das regras de concorrência europeias. Os bancos podem responder mais tarde ao Executivo europeu.

Se depois desta etapa a Comissão concluir que tem provas suficientes sobre uma infração, a instituição pode impor uma multa de até 10% do volume de negócios anual mundial das empresas envolvidas.

Em dezembro, a Comissão anunciou multas a seis entidades financeiras por manipulação das taxas interbancárias Euribor, Libor (London Inter Bank Offered Rate) e Tibor (Tokyo Interbank Offered Rate).

Além do Barclays, Deutsche Bank, Société Générale e Royal Bank of Scotland, o Citigroup e a corretora RP Martin receberam multas que superaram 1,7 bilhão de euros.