Tuites de Musk sobre a Tesla serão revisados antes de publicação

Em março, Musk escreveu no Twitter que a Tesla fabricaria 500 mil veículos no ano, número que não corresponde à realidade

Washington – Uma juíza aprovou nesta quarta-feira (1), um acordo entre a Comissão de Títulos e Câmbio dos Estados Unidos (SEC) e o fundador da Tesla, Elon Musk, para que os tweets escritos por ele sobre a empresa sejam revisados antes da publicação.

A decisão da juíza Alison Nathan, de Nova York, evita que Musk seja acusado por desacato ao violar um acordo anterior firmado entre a Tesla e o órgão de regulação da bolsa de valores para controlar as mensagens publicadas pelo fundador da empresa nas redes sociais.

Segundo os termos do pacto, os tweets que Musk que abordem temas como produção, vendas, condições financeiras, propostas de aquisições ou fusões, novas linhas de negócio e previsões empresariais terão que ser revisados pelos advogados da Tesla.

Em março, Musk escreveu no Twitter que a Tesla fabricaria 500 mil veículos no ano, número que não corresponde à realidade. Por isso, a SEC pediu que o empresário fosse acusado por desacato.

Musk corrigiu a informação posteriormente e disse que tinha cometido um erro. A SEC considerou “assombroso” que o empresário fosse capaz de publicar um tweet após firmar um acordo para que as mensagens fossem supervisionadas pelos advogados da empresa.

O caso começou em agosto de 2018, quando Musk anunciou no Twitter que pensava em retirar a Tesla da bolsa e que já tinha financiamento para recomprar as ações da empresa por US$ 420, um valor muito superior à cotação do papel da fabricante na época.

O tweet foi recebido com ceticismo pelos especialistas do setor e, dias depois, Musk reconheceu que não tinha dinheiro suficiente para realizar a operação. No entanto, as ações da Tesla se beneficiaram no período e cresceram de valor na bolsa.

Por esse motivo, a SEC e vários investidores processaram Musk e a Tesla por inflarem artificialmente o valor de mercado da empresa.

Um mês depois, Musk e a SEC chegaram a um acordo. A empresa se comprometia a pagar US$ 20 milhões, e o empresário topava deixar temporariamente a presidência do conselho de administração da Tesla.

A Tesla também se comprometeu a instalar “controles e processos para supervisionar as comunicações de Musk”.