Toyota cogita sair do Reino Unido em caso de Brexit sem acordo

A principal montadora do Japão possui mais de 3.000 funcionários em duas fábricas na Grã-Bretanha

A Toyota, principal montadora do Japão, cogita deixar o Reino Unido em caso de separação do país da União Europeia (UE) sem um acordo com garantias, afirmou à imprensa nipônica o diretor da Toyota Europa.

“Se o ambiente para os negócios se tornar muito, muito difícil, entre as opções também deve figurar uma saída”, afirmou Johan Van Zyl à margem do Salão do Automóvel de Genebra, de acordo com o jornal econômico Nikkei.

Segundo o jornal, Van Zyl também citou outras possibilidades, como uma redução da produção ou dos investimentos.

Um porta-voz da Toyota em Tóquio confirmou à AFP o teor das declarações de Van Zyl à imprensa, ao explicar que foram “declarações gerais” em resposta a uma pergunta sobre a possibilidade de abandonar o território britânico.

“Um Brexit duro não é desejável”, disse Van Zyl.

A Toyota possui mais de 3.000 funcionários em duas fábricas na Grã-Bretanha.

No mês passado, a também japonesa Honda anunciou o fim de sua produção em território britânico, com o fechamento de sua fábrica em Swindon em 2021.

O local, a única fábrica da montadora japonesa na Europa, é a principal fonte de empregos da cidade do sudoeste da Inglaterra, com 3.500 funcionários.

A menos de um mês da data oficial do Brexit, as conversações entre negociadores britânicos e europeus permanecem estagnadas, o que aumenta o risco de que os deputados britânicos voltem a rejeitar o acordo de divórcio.