Times de futebol nunca ganharam tanto no Brasil quanto em 2016

Flamengo se destaca entre os 20 maiores times em receitas e arrecadou R$ 510 milhões no ano passado

São Paulo – Os times de futebol brasileiros mostraram resultados financeiros impressionantes no ano passado. As receitas de todos os times atingiram R$ 5,4 bilhões, um valor recorde e cerca de 30% superior ao ano anterior.

O dado consta de um estudo realizado por Amir Somoggi, consultor de marketing e gestão esportiva.

Além de analisar o mercado como um todo, o estudo observou detalhadamente as finanças dos 20 maiores clubes em receitas no Brasil. Juntos, eles apresentaram faturamento de R$ 4,85 bilhões, aumento de 30,2% em relação a 2015.

20 maiores receitas

O Flamengo se destaca entre os 20 maiores times em receitas. Em primeiro lugar no ranking, ele arrecadou R$ 510 milhões no ano passado, 43% a mais que em 2015. Nos últimos cinco anos, a evolução da receita foi de 176%.

O Internacional e o Cruzeiro foram os únicos times que viram seu faturamento cair, 2% e 34%, respectivamente.

Confira abaixo as receitas dos 20 maiores times em R$ milhões:

Clubes 2016 2015 2014 2013 2012 2011 Variação 2011-2016
Flamengo 510,1 355,6 347 272,9 212 185 176%
Corinthians 485,4 298,4 258,2 316 358,5 290,5 67%
Palmeiras 468,6 351,5 244,1 181,2 244,6 148,1 216%
São Paulo 393,4 330,9 253,4 364,7 284,1 226,1 74%
Grêmio 325,8 190,6 206,3 196,3 233,5 143,3 127%
Atlético-MG 316,3 244,6 178,9 227,9 163 99,8 217%
Santos 295,8 169,9 171,2 190,3 197,8 189,1 56%
Fluminense 293,2 180,3 122,3 124,8 151,2 80,2 266%
Internacional 292,7 297,1 205,1 259,6 252,9 188,3 55%
Cruzeiro 238,4 363,8 223,2 187,9 120,4 128,7 85%
Vasco da Gama 213,3 189,7 129,2 157,1 146,2 137,1 56%
Atlético-PR 164,1 158 138,8 102,3 212,8 65,5 151%
Botafogo 160,1 121 163,4 181,5 122,8 58,9 172%
Sport 129,6 87,6 60,8 51,4 79,8 46,9 176%
Bahia 120,7 84,6 75,8 64,5 66,6 36,9 227%
Vitória 112 52,3 61,8 65,1 52,3 34,2 227%
Coritiba 109,5 85,7 87,3 96,7 86,8 66,5 65%
Goiás 83 70,3 62,6 55,5 53,1 18,5 349%
Chapecoense 74,8 46,8 34,6 ND ND ND
Figueirense 70,9 47,6 41,9 23,4 41 40,7 74%

 

Time com as maiores receitas, o Flamengo depende dos direitos de transmissão na TV. Mais de metade do seu faturamento vem desta fonte.

No entanto, não chega nem perto de Vitória: 81% do faturamento do time vem dos direitos de TV, o que o torna o time mais dependente desta fonte de receitas.

Dependência da televisão

De acordo com Somoggi, o aumento das receitas está relacionado ao aumento dos direitos de transmissão na televisão. Estes recursos passaram de R$ 1,4 bilhão em 2015 para R$ 2,5 bilhões em 2016, aumento de 76%.

No entanto, esse salto não é sustentável e não deve se repetir nos próximos anos, segundo o estudo.

Isso porque mo ano passado, os clubes assinaram contratos para direitos de transmissão que valem de 2019 a 2024. Com esses acordos, eles receberam um bônus, ou adiantamento dos pagamentos, chamado de luva, principal motivo para o aumento nas receitas do ano.

O adiantamento dos contratos também dificulta a tarefa de planejar o orçamento dos próximos anos e pensar a longo prazo, pois se trata de um valor que não irá se repetir.

Para o consultor, o registro antecipado desse valor em 2016 é maléfico para as finanças dos times. Sem as luvas, as receitas de direitos de transmissão irão cair em 2017.

Além disso, os times ficaram mais dependentes de uma única fonte de receita. Os direitos de TV representam 51% das receitas dos 20 maiores clubes de futebol do país, enquanto em 2015 esse valor era de 38%. As outras receitas tiveram uma evolução tímida no ano, de acordo com o levantamento.

As receitas com patrocínio subiram 8% no ano e o faturamento com transferências de jogadores cresceu 5%. O dinheiro arrecadado em bilheterias caiu 14% em 2016 em relação ao ano anterior.

Veja abaixo a distribuição das receitas dos 20 maiores times:

2011 2012 2013 2014 2015 2016
Direitos de TV 36% 40% 31% 36% 38% 51%
Transferências de Atletas 15% 14% 23% 14% 17% 14%
Patrocínio e Publicidade 18% 14% 15% 15% 14% 11%
Social e Amador 13% 11% 12% 14% 14% 11%
Bilheteria 8% 7% 10% 10% 10% 7%
Outras 10% 14% 9% 11% 7% 6%

Custos com futebol

Assim como as receitas, os custos do departamento de futebol também atingiram um valor recorde. O gasto foi de R$ 2,9 bilhões em 2016, aumento de 9,1% em relação ao ano passado.

O Corinthians foi o time que apresentou os maiores custos com futebol no ano. Foram R$ 299,6 milhões, aumento de 20% no ano.

Veja abaixo o custo do Departamento de Futebol em R$ milhões:

Clubes 2016 2015 2014 2013 2012 2011 Variação 2011-2016
Corinthians 299,6 250,3 238,5 248,2 233,3 197,4 52%
Palmeiras 292,4 246,1 202,3 133,8 139,7 115,9 152%
São Paulo 265,1 273,6 235,5 248,1 189,6 145,9 82%
Atlético-MG 233,6 166,5 189,6 146,4 125,9 91,3 156%
Flamengo 200,7 147 169,9 180 ND 108,6 85%
Cruzeiro 193,1 306,4 193,5 157,5 99,3 88,8 117%
Grêmio 190,2 174,6 154 156,1 134,4 96,3 98%
Fluminense 181 121,9 81,4 82 76,3 64,2 182%
Santos 175,4 173,1 164,1 167,7 134,8 142,4 23%
Internacional 175,4 215 193,4 211,3 192,4 147,5 19%
Vasco da Gama 121,3 102,3 77,5 113,6 94,5 78,6 54%
Atlético-PR 106,2 107,5 82,1 89,9 71,4 55,6 91%
Botafogo 100,5 76,3 121,2 167,7 98,3 59,6 69%
Bahia 64 47,8 62,6 60,3 53,8 39 64%
Coritiba 61,9 54,7 71,4 65,5 61,9 50,3 23%
Vitória 59,4 42,9 46,7 47,9 40,8 23,4 153%
Sport 58,6 58,2 50,9 45,6 45,8 37,3 57%
Figueirense 55,4 34,4 37,7 31,8 37,5 35,8 55%
Goiás 50 31,6 29,2 42,2 35,8 26,8 86%
Chapecoense 49,6 40,3 30,2 ND ND ND

 

Na balança

Os times conseguiram fechar o ano passado no azul: o superávit foi positivo em R$ 435 milhões. Apenas cinco times fecharam o ano no vermelho: Sport, Botafogo, Coritiba, Internacional e Cruzeiro.

No entanto, esse valor não reflete a verdadeira condição financeira dos clubes, segundo o estudo, já que foi alcançado principalmente por causa do adiantamento das luvas da TV. Por isso, ainda que no ano passado o resultado tenha sido positivo, nos últimos 5 anos os 20 maiores clubes do Brasil acumulam déficit de R$ 386 milhões.

Veja abaixo o superávit ou déficit dos times em R$ milhões:

Clubes 2016 2015 2014 2013 2012 2011 Acumulado de 2011 a 2016
Flamengo 153,5 130,5 64,3 -19,5 -60,5 -12,4 255,8
Palmeiras 89,6 10,6 -27,7 -22,6 31,9 -22,8 58,9
Santos 54,2 -78,2 -59 -40,6 14,6 7,4 -101,6
Atlético-PR 36,6 45,8 43,2 -6,5 122,8 -4,9 237
Grêmio 35,3 -37,6 -31,6 -56,8 28,2 -21 -83,4
Corinthians 31 -97,1 -97 1 7,5 5,3 -149,2
Vitória 25,9 -7,6 0,1 0,5 0,2 0,2 19,3
Bahia 21,8 29,4 -13,7 -113,1 -3,1 -18,5 -97,1
Goiás 15,8 25,5 15,1 -7,5 1,4 -18,3 32
Vasco da Gama 11,9 119,8 -13,6 -10,4 -0,1 4,6 112,2
Fluminense 8,3 31,8 -7,1 -3,3 -3,7 -34,1 -8,1
Chapecoense 6,8 2,8 0,1 ND ND ND 9,7
Figueirense 2,6 1 -8,3 -19,6 -7,8 -6,8 -38,9
Atlético-MG 2,1 -11,9 -53,2 -22,5 -33,2 -36,1 -154,8
São Paulo 0,8 -72,5 -100,1 23,5 0,8 0,2 -147,2
Sport -0,6 -26,5 -8,6 -5 23,5 0,3 -16,8
Botafogo -9,2 108,8 -174,8 -74 -49,3 -166,6 -365,2
Coritiba -11 -16,5 -42,9 -6,7 -9 -11,9 -98
Internacional -11,1 27,6 -49,1 -1 11 -23,4 -45,9
Cruzeiro -29,3 -25,8 -38,7 -22,8 -31 -13,1 -160,7