TIM não leva a sério possível oferta da Oi

Dento da operadora, o anúncio feito pela Oi referente à contratação do BTG foi recebido apenas como o anúncio de contratação de uma consultoria

São Paulo – A Telecom Italia deve publicar ainda hoje um fato relevante informando que não existe nenhuma proposta da Oi pela TIM Brasil na mesa.

Dento da operadora, o anúncio feito pela Oi referente à contratação do BTG foi recebido apenas como o anúncio de contratação de uma consultoria.

Fontes próximas à empresa dizem que não existe absolutamente nada de concreto a não ser uma tentativa de criar um ruído para atrapalhar a movimentação da TIM para fazer uma oferta pela GVT.

“O conselho da Telecom Italia está completamente focado na GVT e esse anúncio da Oi não teve importância alguma”, disse a fonte.

“Ninguém vai perder tempo porque o concorrente contratou um consultor”.

A avaliação que as fontes fazem é de que o BTG esteja agora, na prática, buscando uma solução para a Oi, que seria a venda da própria empresa, e não pode perder o timing por conta das recentes movimentações da TIM e da Telefônica.

“A GVT é um aperitivo. A pergunta é quem é que vai comprar a Oi no ano que vem”, diz a fonte, ligada ao grupo italiano e, portanto, com viés.

Mas conforme noticiou TELETIME, a Verizon estaria efetivamente olhando a oportunidade de financiar a Oi em uma oferta pela TIM, ou apenas para comprar a Oi. A Vodafone também estaria analisando a possibilidade de comprar a participação portuguesa na Oi.

Nesta quarta, o conselheiro legal da Telecom Italia na negociação com a Vivendi, Sérgio Erede, declarou à agência Reuters que a movimentação da Oi não deveria ser levada a sério, visaria apenas criar tumulto, e que a Telecom Italia pode, inclusive, buscar medidas judiciais.

Em nota oficial enviada à imprensa, a Telecom Italia afirma que seu conselho de administração tomou conhecimento nesta quarta-feira, 27, do fato relevante divulgado pela Oi e reitera que a “TIM Brasil é um ativo estratégico no qual está comprometida a concentrar importantes investimentos e perspectivas de crescimento” e ressalta que “está completamente alheia à iniciativa da Oi, da qual não sabe nada”.