Terremoto no Chile gera perdas de US$ 107 mi para a Mapfre

Madri – O terremoto no Chile no começo do ano causou uma redução no lucro da Mapfre, principal seguradora da Espanha, de US$ 107 milhões no primeiro trimestre do ano, que faturou um total de US$ 364 milhões.

Foi registrada uma queda de 4,8% em comparação com o lucro obtido no primeiro trimestre de 2009.

A seguradora indicou que o lucro teria subido 4,1% sem levar em conta os acréscimos do primeiro trimestre de 2009 e de 2010, assim como o impacto do terremoto que atingiu o Chile em fevereiro e da “adversa climatologia” na Espanha e nos Estados Unidos.

Na América Latina, o Brasil foi o país que gerou o lucro mais alto, de US$ 623 milhões, com uma alta de 30,9%, seguido pela Venezuela, com US$ 161, com uma queda de 35%.

A Mapfre ressaltou que teve que fazer frente ao terremoto do Chile e às perdas geradas pelas condições meteorológicas nos EUA, o que impactou as divisões como a Mapfre RE e a Mapfre Global Risk, cujos lucros caíram 18,4% e 137,6%, respectivamente.

Os negócios internacionais continuaram, no entanto, sendo os que mais impulsionaram os lucros da Mapfre, que aumentaram 9,6% nos três primeiros meses do ano, para US$ 6,573 bilhões.