Termina greve na fábrica da Foxconn no Brasil

Segundo o sindicato, a greve pedia a implantação definitiva de plano de cargos e salários para todos os trabalhadores da fábrica do interior paulista

São Paulo – Terminou na manhã desta quinta-feira, 18, a greve dos trabalhadores da Foxconn 2, fábrica da companhia chinesa em Anhanguera (SP) e que é a única planta responsável pela fabricação do iPad fora da China.

Segundo informações do Sindicato dos Metalúrgicos de Jundiaí, Várzea e Campo Limpo, o fim da paralisação, que já durava cinco dias, foi possível “graças à aprovação da proposta negociada entre Sindicato e empresa”, que foi conseguida em uma audiência de conciliação no Tribunal Regional do Trabalho (TRT) em Campinas na noite da quarta-feira, 17.

Segundo o sindicato, a greve pedia a implantação definitiva de plano de cargos e salários para todos os trabalhadores da fábrica do interior paulista.

A Foxconn concordou em iniciar “imediatamente” a aplicação da mesma estrutura trabalhista que já é empregada na planta Foxconn 1, em Jundiaí.

O acordo terá validade de um ano, “período em que as partes estariam discutindo a adequação do plano à realidade da unidade 2”, ainda segundo informações da entidade.

Os cinco dias de paralisação serão pagos pela empresa.

A Foxconn chegou a exigir em troca a compensação de dois dias com trabalho aos sábados, nos próximos 20 de setembro e 4 de outubro.

A proposta foi rejeitada em nova assembleia realizada nesta quinta-feira e a companhia concordou em não haver nenhum tipo de reposição.

Vale lembrar que a mesma unidade já havia entrado em greve em fevereiro de 2013 por motivo semelhante.

Além disso, a paralisação nesta época do ano poderia afetar o abastecimento de possíveis novos modelos do iPad, que, de acordo com a Bloomberg, deverão ser apresentados pela Apple ainda em outubro.