Televisão levanta receita do Corinthians em 2011

Na época que assinou o contrato com a rede Globo, o time afirmou que seus diretores tinham certeza de que haviam assinado “o melhor contrato da história do clube”

São Paulo – A receita líquida da parte de futebol do Corinthians cresceu 49,8% em 2011 em relação a 2010, e somou 248,990 milhões de reais. O resultado foi positivamente impactado pelo crescimento dos direitos de transmissão de TV e por premiações, fiel torcedor e loterias. 

A parte mais significativa da receita bruta vem dos direitos de transmissão, que cresceram 104,6% entre 2010 e 2011 e atingiram 112,486 milhões de reais. É preciso lembrar que 2011 foi o ano da confusa negociação entre o Clube dos 13 e as emissoras de TV para transmissão do Campeonato Brasileiro. 

O Clube dos 13 havia feito, no início do ano, uma licitação para transmitir o campeonato que teve como vencedora a Rede TV, o que gerou um impasse com o Corinthians, que tratou separadamente com a Globo por considerar baixo o valor que receberia na negociação coletiva. 

O clube não divulgou o valor da oferta da Globo, mas é possível chutar alto. Durante as negociações, a Record havia feito uma proposta de 100 milhões de reais pelos direitos – e não levou o contrato. A proposta exigia “algo que o clube não pode garantir”, segundo o Corinthians, pois a lei atual não garante que a equipe mandante detenha exclusividade nos seus jogos em casa.

Na época em que assinou o contrato com a rede Globo, o Corinthians afirmou, por meio de comunicado, que seus diretores tinham certeza de que haviam assinado “o melhor contrato da história do clube de Parque São Jorge, superando inclusive a previsão de faturamento do Clube dos 13”.

Receitas

O maior crescimento nas receitas brutas do Corinthians ocorreu na parte das premiações, loterias e fiel torcedor – o clube não fatiou os números – que atingiu 14,7 milhões de reais, um crescimento de 112%, aproximadamente, em relação a 2010. Vale lembrar que, apesar de 2011 não ter sido o ano do centenário, como 2010, o clube venceu o Campeonato Brasileiro. As receitas com repasses de direitos federativos também cresceram, 70,8%, aproximadamente, e atingiram 59,706 milhões de reais em 2011. 

No período, o time registrou queda em patrocínios e publicidades e na arrecadação de jogos. Em patrocínios e publicidades a receita bruta foi de 44,382 milhões de reais – 6,2% inferior a de 2010. Já a arrecadação dos jogos, somou 27,171 milhões de reais e registrou uma queda de 7,7%, aproximadamente. 


Alguns números mudaram bastante em relação ao último balanço divulgado pelo clube, referente a outubro. Na época, as premiações em campeonatos somavam 600.000 reais. O programa Fiel torcedor, loterias e outras era a parte mais crítica – a receita dessa fatia era de 465 milhões de reais.

Despesas e dívidas

Em 2011, o time registrou um custo de 43,784 milhões de reais com venda e aquisição de atletas. O valor é 289% superior ao do ano de 2010 e foi a segunda maior despesa do clube – atrás apenas de gastos com pessoal. As despesas operacionais somaram 197,386 milhões de reais, valor 28,7% superior ao de 2010. 

O endividamento aumentou 46% em 2011, chegando a 178,493 milhões de reais – perante 122,068 milhões de reais em 2010. Mas a geração de caixa aumentou mais, 74,9%, passando de 22,063 milhões de reais em 2010 para 38,589 milhões de reais em 2011.

Em clube social e esportes amadores, a receita operacional líquida soma 31,566 milhões de reais, uma queda de 18,2% em relação a 2010. As despesas operacionais foram de 41,717 milhões de reais – aumento de 16,4%. O ano de 2011 foi o último de Andrés Sanches na presidência do Corinthians.