Telefônica quer mais clientes para reduzir efeitos da crise

"Agregamos clientes, o que gera renda, entrando em um círculo virtuoso que nos permite melhorar nossas margens. Esse é nosso objetivo", acrescentou Teixeira

São Paulo – A filial brasileira da multinacional espanhola Telefônica (VIVT4) aposta no aumento do número de clientes, principalmente nos serviços de internet móvel, para minimizar os efeitos da crise global, informou nesta quarta-feira um executivo da companhia.

Segundo o diretor-geral da Telefônica/vivo no Brasil, Paulo César Teixeira, a venda de smartphones e a procura por pacotes de dados estão “protegendo” o mercado de telecomunicações da crise econômica mundial.

Teixeira, em uma teleconferência sobre os resultados trimestrais da empresa, admitiu que a situação econômica afeta o setor, mas minimizou os impactos, destacando a “onda” de internet móvel como garantia.

“O ambiente econômico influi e isso se nota pelo nível de consumo, mas o setor em geral está protegido”, afirmou Teixeira. “Temos o impacto da economia, mas o segmento conta com a explosão da demanda por smartphones e pacotes de dados de internet”, comentou.

Segundo um comunicado divulgado pela empresa, a companhia investiu R$ 1,3 bilhão na ampliação da cobertura móvel 3G e 4G no Brasil, assim como em melhoras nas suas linhas de fibra óptica.

Teixeira destacou que houve um aumento das despesas comerciais e operacionais, mas que isso se deve a um esforço da empresa em manter uma dinâmica de crescimento e “proteger a base do negócio”.

“Agregamos clientes, o que gera renda, entrando em um círculo virtuoso que nos permite melhorar nossas margens. Esse é nosso objetivo”, acrescentou.

A Telefônica apresentou hoje os resultados financeiros do segundo trimestre de 2013 no Brasil, que apontam um crescimento de 12,8%, relativo aos três primeiros meses deste ano, somando R$ 914,2 milhões.