TAP voltará a voar para Guiné-Bissau após cancelar conexão

A TAP retomará os voos entre Lisboa e a capital da Guiné-Bissau a partir de 26 de outubro, 10 meses após cancelar a conexão

Lisboa – A companhia aérea portuguesa TAP retomará os voos entre Lisboa e a capital da Guiné-Bissau a partir de 26 de outubro, dez meses depois que uma decisão de segurança permitiu a 74 sírios desembarcarem em solo português com passaportes falsos.

Foi o que disse hoje o presidente da companhia, o brasileiro Fernando Pinto, que assistiu à assinatura de um protocolo de cooperação, formação e capacitação em migração e controle de fronteiras entre os governos de ambos os países.

O diretor da TAP apontou que já a partir de hoje estão abertas as reservas para essa nova conexão, e ressaltou que a segurança estará garantida graças à presença nos voos de um agente do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) português, que participará da verificação dos documentos no momento do embarque.

Em declarações aos jornalistas, Pinto lembrou que a incorporação de um membro dessa corporação já era uma prática habitual anos atrás na conexão até Bissau.

Os voos foram cancelados em dezembro de 2013, depois que 74 sírios sem a documentação regular – entre eles 21 crianças – aterrissaram em Lisboa no voo da TAP procedente do país africano e pediram asilo político.