Suzuki procura justiça para reaver ações compradas pela Volkswagen

Parceria entre marcas entrou em crise neste ano

São Paulo – A Suzuki Motor Corp. entrou com um procedimento arbitrário contra a Volkswagen AG, na tentativa de forçar os alemães a devolverem sua fatia de 19,89% das ações que possuem da marca japonesa.

Segundo informações da agência de notícias Automotive News, a Suzuki vai iniciar a ação no dia 24 de novembro, na Corte Internacional Arbitral de Londres. Os japoneses querem que a Volkswagen venda sua participação de volta para a própria Suzuki ou para uma terceira empresa designada pela Suzuki.

“Os procedimentos arbitrários indicam nossa posição com relação à falta de resposta da Volkswagen AG em relação aos pedidos feitos pela Suzuki para devolver suas ações”, afirmou a empresa nipônica.

A VW era a maior acionista da Suzuki desde 2009, quando comprou 19,89% das ações da montadora japonesa, enquanto a Suzuki adquiriu 1,49% das ações da VW. A parceria foi aprovada como forma da VW ter sua entrada facilitada no mercado indiano, onde a Suzuki tem forte atuação, e também para que a Suzuki tivesse acesso a tecnologias desenvolvidas pela Volkswagen.

Entretanto, o “casamento” começou a dar sinais de desgaste no início deste ano, quando a VW classificou a Suzuki como “associada” ao invés de parceira, o que acabou irritando os executivos japoneses. Desde então, a Suzuki vem acusando a Suzuki de ter quebrado o acordo ao ter fornecido motores a diesel para a Fiat.

A resposta não demorou a vir: a Suzuki acusou a VW de não ter compartilhado tecnologias inovadoras que seriam interessantes do ponto de vista estratégico para a Suzuki. Para piorar, VW e Suzuki nunca desenvolveram um projeto em conjunto nos quase dois anos de acordo.

No dia 12 de setembro, a Suzuki exigiu que a Volkswagen devolvesse a fatia de 19,89% das ações que os alemães detêm. Diante da negativa, a Suzuki anunciou no dia 18 de novembro que estava encerrando a parceria de forma unilateral. A Volkswagen, por sua vez, minimizou os esforços da Suzuki para acabar com a parceria e disse que as reclamações “não têm fundamento algum”. A marca de Wolfsburg disse também que pretende continuar com o acordo.