Surpreender Wall Street está mais desafiador para Google e Amazon

Google viu redução no crescimento de sua receita de anúncios, enquanto investimentos da Amazon para otimizar entregas podem impactar resultados

Quando se trata das maiores empresas do planeta, os números são superlativos. Lucros bilionários e crescimentos de dois dígitos já não são suficientes para a Alphabet, dona do Google, e a gigante do comércio eletrônico Amazon, que divulgam resultados nesta quinta-feira com o desafio de convencer analistas que podem seguir crescendo.

No primeiro trimestre, a Alphabet reportou faturamento de 36,3 bilhões de dólares, alta de 17% no período mas desaceleração do ritmo dos trimestres anteriores. A empresa ainda é líder em anúncios, uma de suas principais fontes de faturamento, sendo destino de 31% dos mais de 400 bilhões de dólares da receita mundial de anúncios digitais (à frente do Facebook, que tem 20%). Contudo, a companhia sofreu com a desaceleração da receita de anúncios, que aumentou “somente” 15% no primeiro trimestre, ante mais de 20% de alta nos anos anteriores. Nesse cenário, as ações da Alphabet subiram 9,9% desde o começo do ano, abaixo da média de 24% do principal índice da Nasdaq. 

Já a Amazon enfrenta um problema diferente: em vez de decepcionar analistas com crescimento baixo, extrapolou as previsões nos últimos cinco trimestres. Assim, o mercado se acostumou a ser surpreendido e qualquer resultado abaixo do excepcional pode abalar suas ações. No entanto, gastos recentes da companhia podem ter impacto em seus números, como o investimento de 800 milhões de dólares para cortar pela metade o tempo de entrega das compras feitas pelo Amazon Prime, serviço de assinaturas.

Investidores também estarão de olho na lucratividade de suas operações nos Estados Unidos e no crescimento de seu serviço de computação em nuvem, a Amazon Web Services.

As duas empresas, assim com a Apple e o Facebook, ainda enfrentam investigações sobre seu modelo de negócios. O Departamento de Justiça dos Estados Unidos lançou uma investigação antitruste para avaliar as taxas que grandes empresas de tecnologia cobram de desenvolvedores de aplicativos. A investigação fez as ações de Apple, Google, Amazon e Facebook caírem e as empresas já perderam cerca de 33 bilhões de dólares em valor de mercado em conjunto. 

Entre os governos e reguladores apertando e um crescimento que começa a desacelerar, as bilionárias empresas de tecnologia podem estar entrando em uma de suas fases mais desafiadoras. Amazon e Google, embora em áreas tecnológicas diferentes, darão uma prévia desse momento hoje.