Société Mondiale protocola 2 petições contra fundos abutres na Oi

Em uma petição, o Société afirma que os fundos abutres "vêm abusando do seu direito de credor no âmbito da recuperação judicial"

São Paulo – O fundo Société Mondiale, acionista da Oi ligado ao empresário Nelson Tanure, protocolou nesta terça-feira na 7ª Vara Empresarial do Rio de Janeiro duas petições contra atuação de fundos abutres no processo de recuperação judicial da operadora.

Em uma delas, o Société afirma que os fundos abutres “vêm abusando do seu direito de credor no âmbito da recuperação judicial”, o que prejudica o ambiente de negociação coletiva.

O documento ainda alega que eles “usarão a assembleia de credores como palco para suas pretensões ilícitas”, rejeitando o plano apresentado pela Oi com vistas de colocar em votação seu próprio plano.

Na outra petição, o Société cita tentativa de aquisição hostil por credores liderados pelo fundo Aurelius, que “rejeitam um plano que lhes dá um retorno financeiro muito acima do que pagaram, sem qualquer racionalidade econômica, porque querem ficar com a companhia para eles”.