Sindicatos promovem greve na Eletrobras contra privatização

Governo do presidente Michel Temer pretende concluir a desestatização ainda em 2018

São Paulo – Funcionários da estatal Eletrobras promovem uma greve nesta segunda-feira, com paralisações e manifestações em protesto contra os planos do governo de privatizar a companhia, maior elétrica da América Latina, de acordo com informações da Federação Nacional dos Urbanitários (FNU).

O movimento vem em um momento em que a promessa do governo do presidente Michel Temer de concluir a desestatização ainda em 2018 tem sido vista com algum ceticismo, em meio à resistência de alguns grupos políticos contra a proposta e um apertado cronograma para viabilizar o negócio em um ano de eleições presidenciais.

A FNU disse, segundo comunicado, que “os serviços essenciais serão mantidos”, apesar da paralisação na companhia.

A federação sindical alega que o setor elétrico é estratégico e que uma eventual privatização da Eletrobras resultaria em elevação nas tarifas para os consumidores.

Procurada, a Eletrobras não respondeu de imediato a um pedido de comentário sobre eventuais efeitos da greve em suas operações. A FNU não comentou de imediato sobre as proporções da paralisação.