Shopping Morumbi quer anular indenização de mortes no cinema

Filhas de vítima de tiroteio dentro de cinema, em 1999, pedem pensão mensal de 3 salários mínimos e indenização de R$ 300 mil

São Paulo – O shopping Morumbi, que pertence ao grupo Multiplan, quer anular o pagamento de uma indenização de 300.000 reais às filhas de uma das vítimas fatais de um tiroteio que ocorreu em um de seus cinemas, em 1999. Na época, o estudante de medicina Mateus da Costa Meira entrou armado com uma submetralhadora na sala e disparou contra diversas pessoas durante a exibição do filme “Clube da Luta”. A tragédia deixou três mortos e outras quatro pessoas feridas.

Em decisão anterior, a Justiça havia determinado o pagamento da indenização, além de uma pensão mensal de três salários mínimos às filhas. O valor já fora reduzido em função de uma apelação do shopping – o montante estipulado inicialmente era de 22 salários mínimos.

Agora, o shopping recorreu ao Superior Tribunal de Justiça para que prevaleça o voto vencido de um desembargador, que optou por isentá-lo de qualquer desembolso no caso.

Episódio parecido

Em 2010, o Morumbi já escapara de pagamento semelhante, requerido pelos pais de um estudante morto no mesma ocasião. Na visão do relator Honildo de Mello Castro, independente da dor causada aos familiares, a responsabilidade pelo incidente não poderia ser imputada ao shopping, já que o crime poderia ter ocorrido em qualquer outro lugar, como por exemplo “em um saguão de aeroporto, onde qualquer pessoa pode chegar com uma arma dentro da mochila”.

Castro acrescentou que não haveria nenhuma lei obrigando os shopping centers a fiscalizar seus clientes no Brasil, completando que nem mesmo nos Estados Unidos, “onde esse tipo de crime ocorre com frequência”, esse tipo de vistoria seria colocada em prática.

Na decisão do Tribunal de Justiça de São Paulo, que acabou sendo colocado por terra, o Morumbi havia sido condenado ao pagamento de 200.000 reais de indenização, além de uma pensão alimentícia de um salário e mínimo e meio para cada um dos pais.