Shopping Iguatemi é 11º área de compras mais cara do mundo

Rua Haddock Lobo, em São Paulo, teve a maior valorização do planeta, segundo pesquisa da Cushman

São Paulo – O Shopping Iguatemi, em São Paulo, continua sendo a localização mais cara do Brasil e a quinta mais cara das Américas – atrás somente de Nova York (5th Avenue, East 57th Street e Madison Avenue) e Los Angeles (Rodeo Drive) – segundo ranking da consultoria imobiliária internacional Cushman & Wakefield, divulgado hoje (21/9).

O preço pedido médio de locação no Shopping Iguatemi São Paulo (o maior das regiões pesquisadas no Brasil) subiu da 15ª para a 11ª mais cara do mundo, passando de 3.785 dólares metro quadrado/ano em 2009 para em 4.335 dólares o metro quadrado por ano (valorização anual de 14,5%).

“A performance dos mercados emergentes permaneceu forte neste ano, devido à forte demanda dos varejistas internacionais”, segundo a Cushman & Wakefield. A Rua Haddock Lobo, em São Paulo, teve a maior valorização do mundo, com aumento de 92% nos preços pedidos de locação, fechando em 944 dólares o metro quadrado por ano. Ainda assim, esta localização não entrou para o ranking das 10 mais caras do mundo.

5ª Avenida mantém liderança

O endereço mais caro do mundo, no mercado de varejo luxo, continua sendo a 5ª Avenida em Nova York. A região detém a liderança há nove anos consecutivos. O preço do metro quadrado no famoso endereço americano é de 22,6 mil dólares ao ano. Os preços pedidos de locação na 5ª Avenida aumentaram 8,8% em relação ao ano passado.

O 2º lugar permaneceu com a Causeway Bay, em Hong Kong, com o metro quadrado por 17,9 mil dólares ao ano. As locações em Londres (New Bond Street) aumentaram e fecharam em 8.997 dólares o metro quadrado por ano, tornando-se a localização mais cara da Europa.

Abrir uma butique na parisiense Champs-Elysées, por sua vez, ficou mais barato (8,5 mil dólares o metro quadrado por ano). Nessa avenida, houve a maior queda dentre as 10 localizações mais caras do mundo (queda de 9,5% em relação ao ano anterior).
 


O bom momento da economia brasileira resultou no aumento nas vendas no varejo e, consequentemente, na valorização dos preços pedidos de locação, segundo a Cushman & Wakefield. A Europa como um todo registrou um declínio de 4,5% nas locações. Grafton Street em Dublin, Irlanda, por exemplo, caiu de 8º para 13º, com queda de 25,8% no preço pedido de locação, fechando em 328 dólares o metro quadrado por mês.

Este ano, os resultados revelam uma polarização entre as regiões “prime” e secundárias. Os imóveis em localizações secundárias foram muito mais prejudicados pela queda da demanda no segmento de varejo, levando ao declínio nas locações, segundo a Cushman & Wakefield.

Veja a lista das 20 mais caras localizações do mundo no mercado comercial de luxo: 

Rank 2010 Rank 2009 País Cidade Localização US$/m²/ano
1 1 USA New York 5th Avenue 22.604
2 2 Hong Kong Hong Kong Causeway Bay 17.908
3 5 Japan Tokyo Ginza 9.445
4 6 UK London New Bond Street 8.997
5 3 France Paris Avenue des Champs Elysées 8.531
6 4 Italy Milan Via Montenapoleone 8.293
7 7 Switzerland Zurich Bahnhofstrasse 7.373
8 11 South Korea Seoul Myeongdong 5.933
9 10 Australia Sydney Pitt Street Mall 5.042
10 9 Germany Munich Kaufingerstraße 4.532
11 15 Brazil São Paulo Iguatemi Shopping 4.335
12 12 Austria Vienna Kärntnerstraße 3.951
13 8 Ireland Dublin Grafton Street 3.941
14 14 Spain Barcelona Portal de l’Angel 3.805
15 16 Russia Moscow Tverskaya 3.500
16 20 China Shanghai East Nanjing Road 3.492
17 49 Vietnam Ho Chi Minh City Shopping Centre 3.480
18 17 Singapore Singapore Orchard Road 3.414
19 12 Greece Athens Ermou 3.220
20 21 Canada Toronto Bloor Street 3.178

Leia mais sobre imóveis

Acompanhe as notícias de Negócios do site EXAME no Twitter