Seca prolongada deve pressionar Sabesp de forma mais severa

Reservatório do Sistema Cantareira, responsável por cerca de um terço do volume total de água produzido pela companhia, está com nível de armazenamento de 12,9%

São Paulo – A seca prolongada que provoca redução de um dos principais reservatórios para abastecimento de água da região metropolitana de São Paulo deverá afetar a Sabesp, companhia de água e saneamento, de forma mais severa que prevista anteriormente, segundo a agência de classificação de risco Fitch.

“As projeções atuais da Fitch relacionadas ao impacto no fluxo de caixa da companhia por uma redução no volume de água e esgoto faturados demonstram pressão moderada a alta sobre o perfil de crédito da Sabesp”, disse a Fitch, em nota nesta segunda-feira.

O reservatório do Sistema Cantareira, responsável por cerca de um terço do volume total de água produzido pela companhia, está com nível de armazenamento de 12,9 por cento, enquanto a empresa realiza programa de incentivo que dá descontos na conta a consumidores que diminuírem o consumo em 20 por cento.

A Fitch estima que em 2014 o endividamento líquido da Sabesp medido por dívida líquida ajustada sobre Ebitda (sigla em inglês para lucro antes de juros, impostos, amortização e depreciação) aumente para 3,5 vezes, ante 2,5 vezes ao final de 2013.

“Espera-se que a dívida líquida da companhia se recupere a um nível alinhado com os ratings atuais da companhia assim que as condições hidrológicas retornarem ao padrão normal”, diz a Fitch.

A agência acrescenta que frustrações relevantes relacionadas aos ajustes de tarifas ou uma redução no consumo de água além das expectativas da Fitch poderão elevar a alavancagem líquida da companhia para acima de 4 vezes em 2014 e colocar mais pressão nos ratings da Sabesp.