Rupert Murdoch, o magnata que quer dominar a mídia mundial

Bilionário já é dono das empresas 21st Century Fox e News Corp e tentou comprar a gigante Time Warner

São Paulo – Depois de fechar um de seus principais jornais por acusações de espionagem e protagonizar um divórcio rodeado por rumores de traição, Rupert Murdoch, do alto de seus 83 anos, voltou a agitar o mundo da mídia internacional nesta semana.

O dono da News Corporation e da 21st Century Fox, soube-se quarta-feira, fez uma oferta de 80 bilhões de dólares pela concorrente Time Warner, que recusou a proposta. Analistas acreditam, porém, que se o magnata estiver realmente disposto a comprar a gigante de comunicação, é só questão de tempo.

Se o negócio vier a ser concluído, o objetivo de vida de Murdoch terá sido cumprido: ele será dono do maior império de comunicação do mundo, de longe. Seriam seus, por exemplo, os canais de televisão Fox, Fox News, Warner Chanel e HBO, os estúdios de cinema Warner Bros. e 21st Century Fox e diversos jornais nos Estados Unidos, no Reino Unido, na Austrália e na Ásia.

Raízes

As origens do império podem ser encontradas em Melbourne, na Austrália, onde seu pai, Keith Murdoch, comandou os jornais locais Sunday Mail e News. Keith, além de dono dos jornais, foi um renomado correspondente de guerra e Rupert cresceu querendo seguir os passos do pai.

Em 1953, após a morte precoce de Keith, Murdoch filho, então com 22 anos, assumiu os jornais. Sua primeira medida foi transformar o News em um tabloide regado a histórias sobre crimes, sexo e escândalos. As vendas dispararam e, a partir daí, Murdoch começou sua longa temporada de compras, que continua até hoje.

Na década de 1970, mudou-se para Londres após comprar o jornal de domingo The News of The World, que logo tornou-se o mais vendido da Inglaterra. Em 1971, comprou o jornal diário Sun, onde adotou o estilo sensacionalista que trouxe dos tabloides australianos.

Dois anos depois, entrou no mercado americano com a compra do San Antonio News, do National Star e do New York Post. A esta altura, Murdoch já comandava um considerável reinado e, em 1979, criou a News Corporation para abarcar todos os seus produtos. A partir daí, o império só cresceu.

Durante as décadas de 1980 e 1990, comprou os jornais Chicago Sun-Times, o Village Voice e a revista New York Magazine. No Reino Unido, adquiriu os jornais Times e Sunday Times. Foi nesse período também que Murdoch diversificou seus negócios.

Em 1985, ele comprou a 21st Century FOX film Corporation e diversos canais de televisão independentes, que, juntos, originaram a FOX Inc. Cinco anos depois, comprou diversas editoras acadêmicas e literárias independentes para criar a HarperCollins, uma das gigantes do meio editorial.

Murdoch também possui um canal de TV em Hong Kong assistido por 320 milhões de pessoas em toda a Ásia. É dono do time de hóquei Los Angeles Kings, do time de basquete Los Angeles Lakers e, desde 2007, da companhia Dow Jones, que publica o jornal Wall Street Journal.

Escândalos

Em 2011, Murdoch enfrentou o maior escândalo de sua história até então. O jornal The News of The World foi acusado de utilizar escutas telefônicas e métodos de espionagem em suas reportagens. Jornalistas e executivos foram indiciados e presos e o jornal fechou as portas.

Dois anos depois, o bilionário tomou outro golpe: após descobrir evidências de que sua esposa Wendi Deng, de 45 anos, teria tido casos com o ex-primeiro ministro inglês Tony Blair e com o presidente do Google Eric Schmidt, Murdoch pediu o divórcio.

O bilionário, que tem uma fortuna avaliada em 13,8 bilhões de dólares, não hesitou em dar a volta por cima. Em 2013, separou suas empresas entre conteúdo para entretenimento e conteúdo jornalístico, criando a 21st Century FOX e a News Corp..

No início do ano, colocou dois de seus filhos em posições importantes na companhia, para assegurar a sucessão da família. Lochlan Murdoch, de 42 anos, assumiu a co-presidência do conselho da News Corp. e da 21st Century FOX. James, de 41, foi designado para chefe de operações da 21st..

Mesmo sendo incomum que empresas deste porte sejam sucedidas por herança nos Estados Unidos, Murdoch insiste em fazer as coisas do seu jeito. Para quem achou que ele estava prestes a se aposentar, a proposta pela Time Warner foi uma resposta clara: Rupert Murdoch não vai parar.