Richard Branson mostra imagens da devastação em sua ilha pós Irma

Filantropo e ativista ambiental manifestou preocupação diante da maior frequência e intensidade de fenômenos climáticos extremos

São Paulo – O empresário multimilionário Richard Branson revelou fotos da devastação provocada pela passagem do furacão Irma na sua ilha privada no Caribe.

Usuário ativo do Twitter, o fundador da Virgin publicou uma série de fotos na rede mostrando construções destruídas na Ilha Necker, de sua propriedade, e outras Ilhas Virgens Britânicas atingidas pela fúria das tempestades.

Em texto publicado no site da Virgin, Branson relatou os estragos. “Os barcos estão empilhados como fósforos no porto. Grandes navios de carga foram jogados para fora da água e nas pedras. Resorts foram dizimados. Os telhados das casas despareceram; até algumas igrejas onde pessoas se abrigaram perderam os telhados. Mas toda a comunidade das Ilhas Virgens Britânicas está se recuperando”, escreveu.

Enquanto detalhava os danos causados ​​nas sua ilha privada e proximidades, Branson destacou que este era apenas um pequeno exemplo da destruição generalizada que Irma causou no Caribe, onde ao menos 30 pessoas morreram.

O empresário frisou que a “história de Irma” não é sobre ele nem sua ilha. Em vez disso, seus seguidores devem se concentrar nas pessoas mais vulneráveis que perderam suas casas e meios de subsistência.

Branson fez um apelo de ajuda para as autoridades. “Os governos – o Reino Unido nas Ilhas Virgens Britânicas, os EUA nas Ilhas Virgens dos EUA – precisam fazer tudo o que estiver ao seu alcance para ajudar as pessoas que perderam suas casas e, em muitos casos, perderam seus meios de subsistência após a tempestade”, disse. O site da Virgin adicionou uma opção de doação para ajudar a angariar fundos para as vítimas da Irma na região.

Filantropo e ativista ambiental, o empresário manifestou preocupação diante da maior frequência e intensidade de fenômenos climáticos extremos.

“A mudança climática provocada pelo homem está contribuindo para furacões cada vez mais fortes causando danos inéditos. O mundo inteiro deve estar lutando para superar a questão das mudanças climáticas antes que seja tarde demais – para esta geração, e muito mais para as gerações vindouras”, setenciou.