Resgate busca mineiros soterrados no Equador

Desmoronamento deixou quatro trabalhadores presos a 150 metros de profundidade

São Paulo – Equipes de resgate começaram a escavar neste sábado uma mina no sul do Equador onde um desmoronamento deixou quatro trabalhadores presos a 150 metros de profundidade no mais recente acidente de mineração na América Latina.

As cenas lembram o resgate de semana passada dos 33 mineiros no Chile, com moradores e familiares aflitos reunidos na pequena mina de ouro em Portovelo, próximo à fronteira peruana.

Ainda não havia indícios de que os quatro trabalhadores do turno da noite haviam sobrevivido ao desmoronamento da manhã de sexta-feira. Autoridades disseram que a causa do acidente teria sido vazamentos de água.

“A operação de resgate levará 24 horas”, disse o presidente Rafael Correa na manhã de sábado.

Segundo autoridades, o foco do trabalho de resgate estava na perfuração de um buraco e inserção de uma pequena sonda com uma câmera para determinar se os homens ainda estão vivos e estabelecer contato caso estivessem.

No Chile, os 33 mineiros sobreviveram durante duas semanas com uma dieta racionada até que as equipes de resgate conseguiram estabelecer contato. O resgate, depois de quase dois meses nas profundezas de um deserto remoto, causou euforia em todo o continente.

O incidente também deu destaque à questão da segurança na mineração na América Latina, onde muitos acidentes ainda ocorrem apesar da melhora radical mas últimas décadas em comparação aos horrores dos séculos passados.

Um dos piores acidentes nos últimos tempos ocorreu na Colômbia em junho, quando mais de 70 mineiros morreram após uma explosão de gás em uma mina de carvão.